Onde Fica a Casa do Meu Amigo? (Khane-ye doust kodjast?. 1987)

Alguns adultos esquecem que já foram crianças. Que viram como alguns as tratavam. Assim, em vez de quebrarem um ciclo lamentável, terminam perpetuando. Crianças têm sim o direito de serem ouvidas e até ajudadas em seus dramas.

Mais que passarem lições as crianças, alguns adultos tendem sim a impor. Em vez de obterem-na por respeito, confiança, escolhem o caminho do medo.

Por conta da estupidez de um professor, um menino nos leva a acompanhá-lo na jornada descrita no título. O tal professor, numa deplorável ‘aula’, termina dizendo a um dos alunos que numa próxima vez ele será expulso. Embora esteja ciente de que muitos daqueles meninos além de morarem longe, ajudam em casa, em afazeres domésticos, ou nos ofícios do pai. Mesmo assim, em vez de ministrar a aula ganhando uma simpatia dos alunos, prefere humilhar. A esse menino, sua atitude fora deprimente.

Então, o amiguinho do lado, Ahmad, já em casa, ao começar a fazer os seus deveres, descobre que trouxe por engano o caderno desse que fora ameaçado de expulsão. Ciente de que o professor nem ouviria a explicação, sentindo-se culpado, decide ir entregar o caderno. Acontece que ele só sabe o nome do lugar. E fica distante da sua casa.

Pede permissão a sua mãe. Até o que ela falou, era o mais lógico. A questão é como falou. E mais, não parando um pouco para explicar. Como não deu atenção a aquela cabecinha, e soou como uma ordem, Ahmed saiu escondido.

No caminho, vai se deparar com outros adultos… Em alguns desses encontros, minhas exclamações foram desde um ‘Affe!’ até um sonoro e silábico ‘PQP!’

Ele sobe e desce escadaria, trilhas, como também entra e sai de becos e vielas… Querendo descobrir onde ficava a casa do seu amigo. As horas vão passando… A noite chegando…

Assim, Ahmed faz a diferença entre todos aqueles adultos. E o final é emocionante! Bravo, Ahmed! Parabéns também ao Diretor até por nos trazer um Irã bucólico. Gostei!

Por: Valéria Miguez (LELLA).

Onde Fica a Casa do Meu Amigo (Khane-ye doust kodjast?). 1987. Irã. Direção e Roteiro: Abbas Kiarostami. Elenco: Babek Ahmed Poor. Gênero: Drama. Duração: 80 minutos.