Doce Novembro (Sweet November. 2001). O meu mês!

Sou suspeito em falar deste mês, pois fui privilegiado em nascer no Doce Novembro. A obra do diretor Pat O’Connor no apresenta o poder do amor e o que ele pode causa nas pessoas.

Na trama Nelson Moss (Keanu Reeves) é executivo que não tem tempo para nada, nem ao menos para sorrir e parece ter se esquecido do que é ser amado por alguém. Até que conhece Sara Deever (Charlize Theron). Nelson vive em função de suas campanhas e dos clientes que pode conseguir arrancar da concorrência, tanto que deixou vencer sua carteira de habilitação e só vai renová-la depois que seus colegas o convencem dos problemas que circular com a carta vencida podem causar.

Quando vai fazer a prova para renovar a habilitação, Nelson pede cola para uma moça sentada ao seu lado e o inspetor recolhe o teste dela obrigando a aguardar um mês até a próxima tentativa. Essa mulher é Sara Deever (Charlize). Sara é jovem, bonita, sorridente e encantadora, o oposto de Nelson. Para recompensa-lá da prova perdida ele oferece dinheiro que compensasse o que ela poderia ganhar num mês, mas ela recusa.

Porém, Nelson não está livre da desmiolada Sara. Ela aparece sem mais nem menos cobrando urna carona, afinal está sem sua carta. Os dois acabam por ficar amigos e ela surge com uma inesperada e estranha proposta: passariam juntos o mês de novembro, nem um dia a mais, nem um a menos, e ela mudaria a vida dele para sempre.

No início Nelson fica com um pé atrás, como poderia largar sua carreira assim, por uma mulher que nem conhece? Mas o destino se encarrega de solucionar essa questão. Devido a uma apresentação nada convencional feita a um cliente que sua agência estava prospectando, Nelson é demitido. Por não conseguir tirar a moça da cabeça nem por um minuto, ele decide aceitar a proposta e passar um mês ao lado dela. Durante o tempo que ficam juntos, Nelson aprende o real significado da palavra viver e um forte sentimento surge entre ambos.

Sara não é nada aberta, nunca fala de sua vida e nem da família. Nelson descobre, sem querer, que ela sofre de um terrível tipo de doença e por isso age dessa maneira, afastando os homens após um curto período de relacionamento. Porém, dessa vez nem ela mesma pôde controlar a situação e seu coração. E o ex-executivo também não aceitará facilmente sair de sua vida como os outros fizeram.

A vida é além do que achamos que ela é… a complexidade da existência está presente na simplicidade das coisas.

O filme ricamente nos ensina que o segredo da vida é cultivar o ser, desligando o ter. Não podemos pautar a nossa vida somente na teoria arquitetada pelo famoso historiado Marx, o capital não é a base de tudo. O filme Doce Novembro descreve uma poesia musicada e roteirizada, algo que nos inspira, fazendo o nosso consciente refletir sobre o mundo que vivemos. Ao longo da existência precisamos nos auto-encontrar, falar com a alma esquecendo-se do diafragma.

A trama romântica nos remete as gloriosas obras de William Shakespeare. O diretor Pat O’Connor preocupa-se em transmitir uma mensagem que vai de encontro com o público, focando uma linguagem humana que profundamente toca, ensina, nos fazendo pensar de forma coerente. Para ser feliz não precisamos de dinheiro, preconceito, emprego, cartões, sucesso, poder… Nelson e Sara descreve com propriedade a essência da vida. Narrando uma belíssima crônica poética que nos fala ao coração, transmitindo em seu contexto a arte do bem-viver.

Precisamos observar o mundo a nossa volta, a vida é bravamente efêmera; por isso ame e se deixe ser amado. Não tente controlar a vida, simplesmente viva!

 

About these ads

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s