As Vantagens de Ser Invisível (The Perks of Being a Wallflower. 2012).

as-vantagens-de-ser-invisivel_2012_personagensPor Francisco Bandeira.
Em um mundo cheio de pessoas chatas e enfadonhas, ou simplesmente “normais” como manda a sociedade, as pessoas diferentes, malucas ou revolucionárias sempre se destacam, sejam de forma boa ou ruim. Mas há também aquelas pessoas que acham uma vantagem serem invisíveis.

O filme mostra as afetações que um jovem pode ter se não possuir uma boa base familiar. Charlie (Logan Lerman) parece pertencer a outro mundo, até conhecer Sam (Emma Watson) e Patrick (Ezra Miller), dois jovens que parecem livres, que não ligam para a opinião dos outros e vivem a vida da forma que acham melhor para eles. Logo eles adotam o protagonista, mostrando pra ele a vida que o mesmo está desperdiçando se fechando em seu mundo.

A obra realmente é repleta de ternura e melancolia, tendo um final sem muito impacto (sim, não achei foda), porém profundo e tocante. A mistura entre melancolia e inocência casa perfeitamente com a proposta do livro, além de ter uma visão bem interessante sobre essa geração.

Ainda que você não goste da fita, vale pelo questionamento sobre relacionamentos x amor verdadeiro e a cena que Charlie se sente infinito. Todos nós devíamos sentir essa sensação, talvez seja essa a real vantagem de ser invisível.

As Vantagens de Ser Invisível (The Perks of Being a Wallflower. 2012). Ficha Técnica: página no IMDb.

Jovens, Loucos e Rebeldes (Dazed and Confused. 1993)

jovens-loucos-e-rebeldes_1983

Milla Jovovich

Milla Jovovich

Por Francisco Bandeira.
Apesar de ser um filme da década de 90, Richard Linklater mostra com perfeição o universo adolescente da década de 70, servindo como uma bela homenagem ao clássico de George Lucas, American Graffiti.

Linklater mostra os jovens colegiais em aventuras, sejam elas na sala de aula, em casa, ou no mundo com os amigos. Lá estão eles rindo, bebendo, paquerando, se divertindo como se não houvesse amanhã. Os jovens retratados pelo diretor são bastante intensos, mas nunca vazios ou estereotipados e acerta em cheio na atmosfera da geração retratada em sua obra.

Rory Cochrane e Matthew McConaughey

Rory Cochrane e Matthew McConaughey

Se fosse resumir o filme, eu diria que Dazed and Confused é puro Sexo, Droga e Rock’n Roll, mas com verdade e uma ternura que deixaria Hughes orgulhoso. Contando ainda com uma bela trilha sonora e um jovem Matthew McConaughey impagável, o filme merece o status de clássico que possui.

Jovens, Loucos e Rebeldes (Dazed and Confused. 1993). Ficha Técnica: página no IMDb.

A Garota de Rosa-Shocking (Pretty in Pink. 1986)

A-Garota-de-Rosa-Shocking-1986Por Francisco Bandeira.
O filme foi dirigido por Howard Deutch, porém é impossível não notar a marca autoral de John Hughes, que assina apenas o roteiro do filme. Estão lá todas as características de seu cinema, alguns atores conhecidos de seus filmes anteriores, com alguns temas já debatidos em sua filmografia, porém com uma simplicidade e uma nova visão sobre os jovens daquela época.

Molly Ringwald e Jon Cryer

Molly Ringwald e Jon Cryer

Aliás, a obra debate muito sobre a divisão dos jovens por conta de seus estilos e classes. Parece que há uma guerra na escola entre punks x riquinhos, onde uns não podem se relacionar com os outros. Talvez esse filme siga bastante atual hoje, pois ainda há uma resistência para a mistura de classes e estilos em nossa sociedade (as eleições fizeram isso vir à tona de maneira preocupante).

O longa discute sobre temas simples como inveja, amor, amizade, mas também vai mais fundo, como em sua visão sobre a dificuldade da sociedade de aceitar um estilo diferente, ou a relação entre classes distintas. Para Hughes e Deutch, sentimentos se sobressaem ao status… Pena que na vida real não seja sim.

A Garota de Rosa-Shocking (Pretty in Pink. 1986). Ficha Técnica: página do IMDb.

10 Coisas Que Eu Odeio em Você (10 Things I Hate About You. 1999).

Heath Ledger e  Julia Stiles

Heath Ledger e Julia Stiles

Por Francisco Bandeira.
De início eu já digo: “10 Coisas Que Eu Odeio em Você” é o filme mais bobo do mundo. Porém, um dos filmes que resgatam aquele tom inocente, ingênuo e esperançoso dos jovens da década de 80, na quebra dos estereótipos e com uma trilha sonora deliciosa.

10-coisas-que-eu-odeio-em-voce_1999Aliás, é incrível como a safra dos anos 90 em diante não consiga resgatar aquela simplicidade dos filmes de Hughes e Cia. Caem logo em um tom sensacionalista, apelativo, mergulhando em clichês horríveis, não conseguindo debater sobre os jovens, suas inseguranças, seu turbilhão de sentimentos, suas aventuras sem soar piegas ou superficial. Por isso eu acho 10 Coisas Que Eu Odeio em Você uma verdadeira pérola do gênero.

Resgata aquele espírito otimista, esperançoso, a inocência dos relacionamentos, as incertezas dos adolescentes de sua geração, e ainda desconstrói os rótulos impostos pela sociedade (o bad boy, a patricinha, a menina marrenta, o menino novato do colégio, o mauricinho, o popular). Sem contar que tem algumas cenas clássicas, como o discurso que dá o título ao filme ou Heath Ledger cantando ‘I Can’t Take My Eyes Off of You’.

Clássico do gênero, merecidamente.
Ficha Técnica na página no IMDb.

Mulher Nota 1000 (Weird Science. 1985)

mulher-nota-mil_1985Por Francisco Bandeira.
John Hughes e seus estereótipos, a desconstrução dos mesmos e o uso disso para dar sacadas brilhantes ao roteiro quase sempre cheio de furos. E talvez sejam suas imperfeições que tornem seus filmes tão divertidos, sinceros, nostálgicos e adoráveis.

Ilan Mitchell-Smith, Robert Downey Jr. e Anthony Michael Hall

Ilan Mitchell-Smith, Robert Downey Jr. e Anthony Michael Hall

O cineasta aqui cria quase que uma espécie de Frankestein versão femme fatale, para mostrar que não importa qual rótulo a sociedade lhe dá, se você é popular ou nerd, todos nós temos a nossa MULHER IDEAL.

Mulher Nota 1000” está longe de ser um dos melhores dessa safra, mas é inegavelmente um dos mais divertidos da década de 80 e um dos trabalhos mais simples de John Hughes, onde o mesmo mostra um entendimento único daquela geração.

Mulher Nota 1000 (Weird Science. 1985). Ficha Técnica: pagina no IMDb.

Curiosidade: Trilha Sonora do grupo Oingo Boingo.

Gatinhas & Gatões (Sixteen Candles, 1984)

gatinhas-e-gatoes-1984Por Francisco Bandeira.
John Hughes começaria aqui seu estilo único que marcou sua carreira, mesclando com perfeição comédia e romance, transformando os problemas adolescentes em comédias bobas e divertidas, como somente ele sabia fazer.

Molly Ringwald e Anthony Michael Hall

Molly Ringwald e Anthony Michael Hall

Gatinhas & Gatões é sim um filme repleto de clichês, mas que nunca deixa de prender a atenção do público, e que é capaz de causar um misto de sentimentos deliciosos, sejam eles lacrimosos ou sorridentes.

O filme tem a marca registrada de Hughes, da desconstrução dos estereótipos, onde os personagens do começo do filme vão mostrando quem realmente são e, ao final, são notórias suas mudanças. Mas não só deles, pois o público começa a ver melhor quem eles são de verdade. E talvez isso que torne Gatinhas & Gatões tão especial, pois é impossível não torcer por um final feliz para cada personagem de seu filme. Lindo, inocente, divertido e bobo, como todo bom filme desse cineasta que entendia os jovens dessa geração como poucos.

Gatinhas & Gatões (Sixteen Candles. 1984). Ficha Técnica: página no IMDb.