Desafiando os Limites (The Word’s Fasted Indian. 2005)

Anthony Hopkins já é um convite para vê-lo atuando. Nesse deixo o aval. Para um grande ator não há limite de idade. Em “Desafiando os Limites” ele deixa a impressão que viveu esse personagem. Nem se sente a longa duração do filme.

Burt (Anthony Hopkins) investe tempo e sua aposentadoria na realização de um sonho. Sua moto para muitos não passava de uma peça de museu. Para ele não! Era a melhor moto do mundo. Daí põe paixão no que faz. Tentando provar que nunca é tarde demais para correr atrás de um sonho. Não importando se chegará ou não ao final. Como ele mesmo cita: “Não é a crítica que conta; o homem que aponta como o outro tropeça ou onde aquele que faz podia ter feito melhor. O mérito é daquele que está na arena.” (T. Roosevelt). E complementando: vivenciando o percurso.

Nessa longa jornada o filme nos fala em superação. Em até onde o prazer pode superar a dor. Em cada obstáculo que passa até chegar em Bonneville: o seu desejo maior. Vamos junto com ele numa torcida silenciosa, mas com brilhos nos olhos.

O filme também aborda até onde as regras, as normas tão rígidas, são de fato para serem seguidas literalmente. Se elas são humanas. Se podem existir uma exceção. Se podem ser quebradas. Ou ainda, qual o momento, o fato onde elas podem ser quebradas.

Ao ser abordado por um policial por ter parado à beira de uma rodovia no meio do nada – após uma taquicardia -, o policial diz que ali era proibido estacionar para não atrapalhar o trânsito. Que trânsito? Ali? E ele estava passando mal. Por isso parou.

Outro tema muito bem abordado é o respeito a uma pessoa. O seu valor na sociedade, no meio em que vive, quer seja em sua labuta, quer seja em seus hobbies. Mesmo que o seu hobby seja sua verdadeira paixão, há que merecer um respeito. Muito embora há quem faça do hobby apenas um troféu de exibição. Há quem esteja sempre atrás dos últimos lançamentos. Para Burt não. Sua velha Indian Scout ainda era uma baita “máquina”. Ou como diria um amigo, não era um jegue.

Ainda citando o respeito, a admiração por alguém, registro a atuação do menininho Aaron Murphy, o Tommy. O amiguinho do Burt. Que carisma tem o jovem! Ele e Hopkins fizeram uma dobradinha emocionante. Sendo vizinhos, amizade e respeito foi se adubando, crescendo com o tempo. Mesmo num curto tempo. Provando até que a diferença de idade não pesa numa verdadeira amizade.

Bonneville. Que lugar! Para quem curte velocidade, um santuário!

Enfim um filme que não apenas os amantes do motociclismo irão gostar. É um lindo filme! Eu amei! Nota: 10.

Por: Valéria Miguez (LELLA).

Desafiando os Limites (The Word’s Fasted Indian). Nova Zelândia. 2005. Direção e Roteiro: Roger Donaldson. Com: Anthony Hopkins, Aaron Murphy. Gênero: Drama. Duração: 127 minutos. Classificação: 10 anos.

Anúncios

9 comentários em “Desafiando os Limites (The Word’s Fasted Indian. 2005)

  1. O filme é bastante atual e nos faz refletir na questões relacioonados aos valores morais esquecidos ao passar dos anos.Nos vale de alerta para conservarmos o respeito e a perceverança.Valores simples e gratuitos e de suma importância para chave do sucesso de conviver…

    Curtir

  2. Oi Derik,

    grata, também em deixar um comentário!

    E sobre o filme, é pena que não tenha mais divulgação. Esse filme chega a ser mágico.

    Um lindo final de semana pra ti!

    Curtir

  3. Boa noite! Eu assisti esse filme com meu filho de 10 anos em um canal aberto de TV, fiquei impessionada com a delicadeza do filme, sem contar com a atuação maravilhosa de Anthony Hopkins! Quanto à regras e onde e quando quebra-las, é verdade, isso também me chamou muita atenção, e seguindo essa observação, vale a pena comentar a respeito do affair entre ele e aquela mulher no meio do nada, bonito demais! E fiquei mais impressionada ainda quando meu filho disse que a gente precisa ter esse filme para assistir mais vezes. Tenho certeza que de modo muito sutil o filme semeou valores que meu filho levará para sua vida, gostei demais disso!

    Curtir

    • Oi Ivani!

      Ler suas palavras, me deixaram emocionada, arrepiou até. Olha, Parabéns pelo filho! Se aos 10 anos de idade, já mostra essa sensibilidade, crescerá sim com os verdadeiros valores em seus atos.

      Beijo grande,

      Curtir

  4. Bom gostaria de me expresar em poucas linhas, pois o dois depoimento a cima traduzem praticamente tudo.
    Esse filme e muito mas muito bom mesmo! Fiqeui espantado em um cana livre, em um fim de semana ser presenteado com este filme.
    O ator que faz o papel principal, tenta achar adjetivos para ele e um tanto complicado pois ele sem duvidas e o melhor.
    Anthony Hopkins esse nome e sinonimo de tudo de bom se tratando em filmes.
    Roberto Prado

    Curtir

  5. Olá! Eu acabei de assistir a dois filmes maravilhosos e acho que vale realmente a pena compartilhar. “A casa de areia e névoa” com Ben Kingsley e “Luke e eu”. Tenho certeza que vão gostar!

    Curtir

    • Oi Ivani!

      Em relação ao “A Casa de Areia e Névoa”, eu já estou escrevendo. Espero publicar logo. Também gostei muito.

      O outro, eu desconheço. Vou me informar.

      Fico feliz em ver que gostou desse espaço 🙂
      Querendo ter texto(s) seus publicados aqui, é só avisar por aqui, que trocaremos os detalhes por email.

      Beijos,

      Curtir

  6. este filme e magico nos mostra como devemos alimentar nossos sonhos faser da adversidade um aliado e nao um inimigo e isto ele nos mostra bem por onde passa semeia a semente do amor e da paz .gatto

    Curtir

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s