Perdas e Danos (Damage. 1992)

perdas-e-danos_1992Seria um filme com uma história comum se não tivesse a força do elenco. O silêncio é o grande mediador desse filme tão sensual.

pd1O silêncio começa quando Stephen Fleming (Jeremy Irons) conhece Anna (Juliette Binoche) num evento parlamentar e seus olhares se cruzam expressando todo o tesão à primeira vista. Fleming não sabia que Anna é a noiva de seu filho, soube quando o filho a levou para conhecer sua família.  Mais um momento marcado pelo silêncio, pois tanto o Parlamentar quanto a noiva não manifestaram o fato de já se conhecerem.

Obviamente que quando deu início o relacionamento sexual dos dois, o silêncio ainda permeou entre essa família. A esposa de Fleming, crente que sua família era exemplar, continua servindo o marido com comida na mesa e ‘jejum’ na cama; em silêncio, ele busca seu desjejum com Anna. Anna, é claro, também esconde de seu noivo as traições. A única coisa que não faz nenhum semblante de quietude sonora é a paixão que avassala ambos.

É de um barulho imenso o que ambos sentem, buscam e provocam um no outro. Aí é a força que me refiro acima, do elenco. As expressões são muito fortes….

Por fim, tudo vem à tona. Toda tragédia tem esse caráter. Não sei se toda perda requer um dano; quando é feito uma escolha, perde-se alguma coisa sempre. A escolha que fizeram foi muita alta e os danos com suas perdas, quando assim, são irreversíveis…

damage_1992Quando o filho morre, a sua mãe e esposa de Fleming, totalmente desolada pergunta para seu marido após tirar a roupa: “Isso não era suficiente?” mostra o quanto essa família era faltosa do ingrediente principal: comunicação e paixão. Claro que Stephen responde com o silêncio…

Um filme pra ser visto com a moralidade cotidiana suspensa, só assim é possível enxergar na tela que a paixão, por vezes estranha, não reconhece parentescos. Isso me faz lembrar de Closer (Perto Demais) quando um dos personagens diz: “Algum momento você teve a escolha de se apaixonar ou não?“. Será que isso funciona assim em linha reta?

Por: Deusa Circe.

Perdas e Danos (Damage)

Direção: Louis Malle

Gênero: Drama

Anúncios

9 comentários em “Perdas e Danos (Damage. 1992)

  1. Vontade de rever, para saber detalhes dessa perda maior. De algum jeito, eram cientes que iriam ferir outras pessoas ao embarcarem nessa paixão…

    🙂 Ficou tudo muito lindo!
    Beijão,

    Curtir

  2. Parabéns Lella por publicar o excelente artigo sobre este filme da autoria da Deusa Circe. Tenho pensado muito sobre os silêncios “morais” que abrem portas para a ensurdecedora, barulhenta “imoralidade”.
    abraços

    Curtir

  3. Este filme é muito bom e o elenco excelente, mas o livro em que é baseado é ainda melhor na minha opinião. (Perdas & Danos – Josephine Hart)
    Claro que sempre tem aquela discussão sobre livros e suas adaptações para o cinema porém, levando em conta a diferença entre as mídias, os dois merecem uma atenção especial.

    Curtir

  4. Amo este filme.
    Já assisti inúmeras vezes, pois além de ser estrelado por 2 feras, Iron e Binoche, é o tipo de filme psicologicamente denso e muito sensual … uma mistura explosiva e instigante. Doloroso, pungente, questionador… Imperdível ao meu ver … e prá rever inúmeras vezes.

    Não li o livro, mas agora lendo comentários, vou tratar de ler.

    Parabéns pela resenha!

    Curtir

  5. Isa!

    Sobre esse filme, eu teria que rever, para melhor discorrer sobre ele. Agora, sobre o silêncio diante de um ato… não diria imoral, mas sim não ético… eu ainda estou pensando em um, após ver o filme ‘Há tanto tempo que te amo’.

    Beijão

    ————————-

    Tânia!

    Já viu quem também está ali na coluna ao lado? Mais precisamente, em ‘Alguns, de Nós!’ 🙂
    Quando virá o próximo texto?

    E por melhor que seja o livro, esse homem é um colírio!

    Beijão,

    —————————-

    Oi Urban!

    Já me antecedendo a Circe nos agradecimentos. É que pelo pouco que conheço dos textos dela, esse filme estaria na medida pelo olhar dela. E ela não decepcionou 🙂 eu também gostei muito!

    E se quiser compartilhar com textos seus, é só dizer que sim. Que te passo o caminho.

    Beijão

    Curtir

  6. Esse filme tem muito o que dizer e muito a silenciar também 😉

    essa resenha é apenas um olhar… claro que um olhar apenas perde-se muito do restante, mas não chega a ser danosa aqui rsrsrs.

    Que bom que gostaram 🙂

    Super beijo.

    Curtir

  7. Puxa, Lella, vi sim meu nome aí do ladinho e fiquei toda boba!!! kkkk Até esqueci de agradecer o carinho…
    Não tenho escrito sobre um filme específico, nem tenho atualizado muito os blogs devido ao trabalho “na vida real”!!! Mas assim que tiver algo, aviso a você.
    Beijins

    Curtir

  8. Tânia!

    Escrevendo outro, é só enviar 🙂

    E Menina! O WordPress tem travado o envio do convite. Pois ‘exige’ que junto vá um convite para abrirem um nele.
    Aos poucos, estou trazendo todos que compartilharam, para cá. Colocar suas assinaturas também em: postado por.

    Beijão,

    Curtir

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s