Caramelo (Sukkar Banat. 2007)

caramelo_posterSerá que não temos mesmo como mudar o rumo do destino? Tem um momento certo para mudar de todo? Será que somente com uma dor profunda que há um acordar para a vida que até então levava? Mudar ou deixar como estar?

Essas e outras reflexões vieram com o filme ‘Caramelo‘. Um filme para um público específico. Que tenha a sensibilidade de ouvir histórias comuns. De mulheres de classe média. Com medos, anseios, expectativas, frustrações, sonhos… Mulheres que vão levando a vida. Que vão sobrevivendo. Um dia após o outro.

Caramelo‘ é ambientado num bairro simples em Beirute. (Fui ler um pouco sobre o Líbano. Para quem quiser, aqui. Ou aqui.). Nota-se de que há uma certa acomodação das pessoas refletindo no lugar. A trama maior se passa num Salão de Beleza. Cujo uma letra do letreiro está lá, caída, sem ninguém se tocar e consertá-la.

caramelo_filmeNesse Salão, o destaque fica com uma depilação com caramelo. Dai o título do filme, mas que na tradução do original – Sukkar banat -, seria como o açúcar das mulheres.

Nele trabalham:
– A dona, Layale (Nadine Labaki). Que mantém um relacionamento com um homem casado. Na esperança de que ele abandone a esposa e fique com ela.
– Nisrine, que esconde do noivo que não é mais virgem. Pesando também ai a religião: muçulmana.
– E Rima, que reprime a sua homossexualidade. Talvez pela cultura, talvez pela mentalidade das pessoas. O que vemos, é que sente como um dar vazão a isso, ao lavar os cabelos das clientes. É onde pode acariciar uma mulher sem que ninguém perceba, ou que a condene. Aliás, uma em especial sentiu, a ponto de fazer uma grande mudança.

A cliente mais assídua é Jamale. Uma atriz que não quer envelhecer. Obcecada em manter uma aparência jovem, por vezes termina fazendo um triste papel.

Fora do Salão:
– Há Rose. Uma costureira que abdicou de ter uma vida própria para cuidar da irmã mais velha. Essa, o destino a fez enlouquecer. Mansa, fica a pegar certos papéis pela rua. Que para ela são cartas de amor. De um amor do passado. Com ela, em destaque duas cenas. Uma com um grande espelho, que nos leva a rir com a sua mente não tão demente assim. E a outra cena, ao ver a irmã se arrumando para um encontro. Essa cena, emociona!
– Há também, um tímido admirador de Layale. Ele é um guarda de trânsito.

Assim, acompanhamos essas mulheres irem aos poucos mostrando seus interiores. O filme é muito bom! Mas pena que não cairá no gosto de todos. E justamente por mostrar histórias nada irreal. Que é real em muitas nacionalidades. Não apenas com as mulheres libanesas. Só não dou um 10, porque não gostei da primeira música. Dou então nota 9,9.

Por: Valéria Miguez (LELLA).

Caramelo (Sukkar banat). 2007. Líbano. Diretora: Nadine Labaki. Elenco. Gênero: Comédia, Drama, Romance. Duração: 95 minutos.

Anúncios

3 comentários em “Caramelo (Sukkar Banat. 2007)

  1. Assisti ao filme Caramelo, sexta-feira, 20/05/11, na TV Cultura. O filme é lindo, as histórias de cada uma, são muito belas e, o sugestionar os relacionamentos e não mostrá-los em si, sugerindo as repressões culturais e os medos pessoais de cada uma, nos deixa a feliz possibilidade, da fantasia. Adorei!!

    Curtido por 1 pessoa

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s