Distúrbios do Prazer (Downloading Nancy. 2008)

Disturbios-do-Prazer_2008Os semelhantes se atraem. Isso é fato. Mas isso não funciona somente para as relações amorosas, os Sintomas (sim, toma) também se atraem. Nos ligamos em quem é afinado com nossos gostos, desejos, vontades e jeito de ser (sintominhas, manias, vícios etc).

Qual a participação da Nancy em ter se casado com um empresário completamente distante, ausente, alheio?

Culpar o ‘mordomo’ não faz o menor sentido… Dizer que ele não presta e que a fez sofrer etc é mero lugar de gente que se põe na posição de vítima o tempo todo. É como mães que dizem aguentar casamentos falidos em nome dos filhos, sendo que os filhos já são maiores de idade. Inventa outra, vai! Pra cima de mim, não.

Uma coisa é certa: Nancy tentou se fazer escutar. Mas tentar se fazer escutar por uma parede é o mesmo que inconscientemente NÃO querer ser escutada. Não é assim?

Downloading NancyEsse filme é bem denso… não fica nos poros e nem na pele, ele entra no músculo, nos tecidos. Não é um filme pra sentimentais assistir e dar conta dele. (fica a dica rsrsrs)

Gozar com a dor é sinônimo de sofrimento? Até onde sofrer é igual a doer? Quando isso se mistura, qual o gozo que se tira disso? Amar é sofrer?

Quando se aprende a amar por uma via é preciso muito esforço pra conseguir conhecer outras vias possíveis. Tudo depende do sofrimento. Só decidimos mudar se estamos sofrendo muito, não há outro antídoto.

“- Se cometem erros, uma pessoa vai se machucar e a outra segue em frente.
– Quais erros?
– Como você trata as pessoas, como elas tratam você. As cicatrizes que deixam em você e as que elas recebem”.

Esse é um diálogo pertinente que ressalto aqui para ilustrar o que eu disse acima. Na terceira lei de Newton é dito sobre a ação e a reação. Nós participamos do que nos acontecem. “Tu és eternamente responsável por aquilo que cativas” – Pequeno Príncipe.

Os suicidas agem de maneira que todos tem culpa por suas mazelas, menos eles mesmos. Deixam cartas, dizem lá quem são os condenados e quem fica sente a eterna culpa de um ato alheio. Quem decide morrer, se matar, é porque decidiu se calar pra sempre, é aquele que não quer ser escutado nem mesmo em suas próprias palavras ditas.

-” A morte é como sugar oxigênio.
-E a vida?
– É como estar presa na casa errada procurando a saída.
– Como sabe que vai poder respirar já que está morta?
– Porque estarei fora do meu corpo. Estarei flutuando e livre.”

O que sabemos da morte? Ninguém tem a experiência da morte, pois os que morrem não voltam aqui pra contar como é morrer. Livres? Quem pode saber?

Por: Deusa Circe.

Downloading Nancy

Direção: Johan Renck

Gênero: Drama

EUA – 2009

Anúncios

4 comentários em “Distúrbios do Prazer (Downloading Nancy. 2008)

  1. Achei interessante o seu post sobre esse vi, que vi agora há pouco. É claro que todos nós somos os responsáveis por nossas atitudes, como você bem coloca. Mas há certos condicionantes que vão além disso. Pessoas que sentem prazer com a dor são anormais? Nancy foi vítima de exploração sexual quando criança por seu tio. Que tipo de comportamento tal infortúnio provoca na vida de quem sofreu isso? Ela procura ajuda profissional, mas a psiquiatra foi capaz de ajudá-la? A cabeça de cada um é que sabe o tamanho do sofrimento que é capaz de suportar. Concordo com as suas avaliações, mas em termos.

    Curtir

    • Julio, como vai?

      Não tenho pretensão, quando escrevo sobre cinema e algum filme, de fechar a discussão aos fatos vistos no filme.
      Primeiro que isso ferra pra quem ainda não viu. Segundo, porque minha pretensão é apenas a de debater algumas possibilidades, alguns pontos de vistas.

      Tem aqueles que gozam muito com a dor e isso nada tem a ver com sofrimento, fazem por puro prazer, como os sado-masoquistas.

      O que eu quis em meu texto é levantar essa lebre mesmo… Até que ponto doer é sinônimo de sofrimento?

      Os pais nos educam da seguinte maneira:

      Filho cai no chão; pais perguntam: doeu? Ah nem está chorando… NEM DOEU.

      Como assim? Percebe? Se machucar, sofrer, chorar = doer. e nem sempre é assim….

      Não deixo de considerar a vida dela em si, os fatos apresentados, mas não deixo de ver o quanto ela se pos no lugar de vítima de seu destino também

      Fico feliz que não tenha concordado 100% comigo sobre esse filme, o meu texto foi escrito com essa intenção: incomodar as lebres rsrsrs.

      *um abraço*

      Curtir

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s