As Bicicletas de Belleville (Le Triplettes de Belleville. 2003)

as-bicicletas-de-bellevilleNão é um filme para crianças. Nem para medianos. É um dos grandes. Raridade visual. Acuidade fonográfica. Excelência de idéias. Surpreendente desde o começo. Uma vozinha, senhora Souza, só. E seu entediado neto, o Champion. Primeiro um piano. Nada. Depois um cachorrinho, o Bruno. Um pouco de interesse. E finalmente a bicicleta. Um triciclo.

Uma infinidade de informações. Críticas veladas à sociedade consumista. Desde o crescimento desordenado da cidade em torno da casinha da vovó. Até a Nova Iorque desenfreada em sua gula. Extra gordos americanos. Uns porcos. Treinamento inumano de um ciclista, seu desenvolvimento extremo das panturrilhas e quadríceps. O humano escravo do corpo. Aparelhos de precisão para alinhar rodas. Peso versus comida.

A portuguesa é incansável. Apitando e ditando o ritmo. Apesar de sua deficiência física –sequela de pólio em perna D- e baixa estatura, ela é super. Cria um campeão. Seus métodos de massagem e instrumental inusitado resultam em ótimas risadas. Aliás, o filme é um bordado de ironias e fino humor. Muito diferente do habitual do cinema. Grosseiro e direto.

Na maior disputa ciclística, a mítica Tour de France, onde meu ídolo e sósia Mário Tippollini nunca venceu, o netinho sucumbe. Cai; e é seqüestrado pela máfia franco-italiana radicada na América. Ela persegue o navio. Repare no desenho afilado do calado. Seu pedalinho não alcança. Mais uma vez utiliza o sofrido cão como motor. Outra ele foi roda de carro. Criativo e engraçado.

Vale analisar a personalidade canina. Traumatizado por um acidente com sua cauda na infância, late para trens toda sua vida. Além de sonhar repetidas vezes com o fato. Como diria um ex-ministro brasileiro, cachorro também é gente.

Chegamos a megalópole, onde Champion está preso e servindo como cavalo de corrida em poule-de-três. Casa de apostas. Repare no desenho dos guarda-costas e seus chefes. Sintomático. Ocorre o encontro com as maravilhosas velhinhas trigêmeas. Personagens que desde já ocuparão espaço de destaque no meu fichário de figuras lendárias.

Elas cantam, dançam e tocam instrumentos. Retiram som do cotidiano. Como Ernesto Nazaré. É contagiante. A música de Benôit Charest é uma salada dos cantores franceses dos anos 50/60, de Frank Zappa e uma pitadinha de jazz, segundo ele mesmo. Eu acrescentaria aquelas deliciosas canções napolitanas, também.

Após engolir, literalmente, tudo quanto é sapo e rã. A destemida vozinha irá resgatar seu protegido. Plano excelente de entrada e abordagem. Digno de um filme noir. Não dá para descrever tudo que se vê, só indo. No entanto as cores cinzentas da projeção brilham num simples levantar de óculos.

Final poético, assim como o desenho e direção de Sylvain Chomet. Obrigaram-me a assistir com atenção um de seus curtas anteriores: “La vielle dame e les pigeons”. E sua marcante influência de Jacques Tati, que é homenageado pelo pôster do quarto das trigêmeas “As férias de monsieur Hulot” e o curta que passa na tv, “A escola de carteiros”. Genial.

O que há de bom: poesia intrínseca, desenho extrínseco, imaginação solta
O que há de ruim: vi a fita sozinho; prazer que deveria ser dividido por milhares
O que prestar atenção: um dos meus melhores amigos chama-se Bruno (o cão) de Souza (avó) e é um ciclista Campeão (o neto) quer mais?
A cena do filme: a emblemática chegada em Belleville seguida do cansaço sem resignação da idosa heroína

Cotação: filme ótimo (@@@@)

Ah, triplettes é trigêmeas, mas também pode ser um conjunto de salsichas de uma boulangerie. Uma alusão ao corpo esquálido das sonoras velhinhas.

Por: COBRA.

Anúncios

2 comentários em “As Bicicletas de Belleville (Le Triplettes de Belleville. 2003)

  1. Soundtrack: As Bicicletas de Belleville:
    01. Under the Bridge
    02. Belleville Rendez-Vous (French Version)
    03. Opening Theme
    04. Cabaret Opening
    05. Tour De France
    06. Attila Marcel
    07. Bruno’s Theme
    08. Easy, Bruno, Easy
    09. Belleville Rendez-Vous (Demo)
    10. French Mafia Theme
    11. Jazzy Bach
    12. Cabaret Hoover
    13. Belleville Jungle
    14. “Cieco Cieco” Barber
    15. Pa Pa Pa Palavas
    16. The Return of the French Mafia
    17. The Shadowing
    18. The Chase
    19. Belleville Rendez-Vous (English Version)

    No link tem como ouvir um trechinho de cada música:

    http://www.amazon.com/Triplets-Belleville-Ben-Charest/dp/B000168ACI

    Curtir

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s