A Bruxa de Blair (The Blair Witch Project. 1999)

the-blair-witch-project-011“JOOOOOOOOOOOOOOOSSSSSHHHHHHH!!!”

Quando se fala em Bruxas os afetos mais infantis vêm à tona, ainda que não seja percebido por muitos. Bruxas fazem parte da maioria dos contos de fadas e os pais se valem muito disso para amedrontar os filhos desobedientes.

Um filme que leva o nome de Bruxa automaticamente já é sondado nas mentes da maioria como algo misterioso e assustador. Histórias de acampamentos! Quem não gosta do momento em que o papo passa a ser sobre o sobrenatural em plena luz da fogueira com todos já mais pra lá do que pra cá depois de boas doses de “cachaça e risadas”?

Talvez por isso que muitos não gostaram de Bruxa de Blair, por imaginarem bruxas narigudas e cheias de verrugas com o poder de magia incrível, por quererem ver, de fato, uma bruxa em ação. Fato é que as “bruxas” compõem um terror muito mais psicológico, ao contrário dos Vampiros do cinema, que com uma estaca bem cravada acaba com o terror imediatamente e todos são felizes pra sempre.  Já as bruxas, o que fazer com elas?

Ser bruxa não demanda transformações corporais como outros seres mitológicos, mutantes e assustadores. Ao contrário.

Bruxa de Blair tem alguns defeitos, mas foi genial a maneira como foi divulgada: “Um documentário real”.

the-blair-witch-project_06Uma curiosidade é que para manter o máximo de veracidade, os atores concordaram em ceder seus próprios nomes para os personagens que estavam interpretando. Outra curiosidade que ajudou a dar status de verídico é que durante a realização das filmagens, os diretores Daniel Myrick e Eduardo Sánchez utilizaram um método incomum: deram o mínimo de material para os atores e os deixaram na mata, cada um com uma câmera de vídeo.  A produção do filme apenas entrava em contato com os atores ocasionalmente e através de bilhetes que diziam o que cada um devia fazer.

Ou seja, nem os atores sabiam direito o que fazer e qual resultado teria. De maneira que a histeria coletiva torna-se mais verdadeira. Claro! Os Diretores provocaram o pânico psicológico e isso foi brilhante, – coisa de bruxos rsrsrs – em meu ponto de vista.

Outra curiosidade e esta eu achei genial sob o ponto de vista do retorno obtido em nome da criatividade é que o  filme é o recordista absoluto de lucro nas bilheterias. Tendo custado apenas 50 mil dólares, o filme arrecadou, nas bilheterias mundias, cerca de 202 milhões de dólares. Tem diretores que gastam 100 milhões e arrecadam pouco mais do que isso… Isso prova que pra ser inovador e inteligente, a criatividade conta bem mais do que o dinheiro, embora este seja também importante.

Eu gostei de Bruxa de Blair, ainda que a câmera passeou demais pra lá e pra cá. Eu, na época, pensei sim que aquilo era real, a internet que desmitificou essa idéia pra mim rsrsrs.

Teve continuação… vou revê-la e depois escrevo sobre aqui no nosso Cinema.

Por: Deusa Circe.

Bruxa de Blair – The Blair Witch Project

Direção: Daniel Myrick e Eduardo Sánchez

Gênero: Terror

EUA – 1999

Anúncios

3 comentários em “A Bruxa de Blair (The Blair Witch Project. 1999)

  1. Fabio,

    eu já vi a continuação! Vou REvê-la pra ter mais subsídio pra escrever aqui no nosso Cineminha! 🙂

    Eu sei que não é grandes coisas, mas é legal escrever sobre a continuação já que tem.

    No mais, eu tbem adoro esse blog rsrsrs.

    Abraços.

    Deusa Circe.

    Curtir

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s