Batman Begins (2005)

batman-begins_cartazBatman Begins é o 1º filme a mostrar como ocorreu o assassinato dos pais de Bruce Wayne como é realmente nos quadrinhos. A situação também foi mostrada em Batman (1989), mas com o personagem Coringa como autor do crime, o que não ocorre nas HQs.

BATMAN BEGINS (Batman, o início ou, literalmente, Batman começa) deixa a desejar. Tem muita ação para pouco conteúdo. Nada resta da psique atormentada que Tim Burton atribuíra ao personagem em Batman I. O Batman de Christopher Nolan é, nesse sentido, uma planície sem profundidades. Pior porque de Nolan – que dirigiu o excelente Amnésia – sempre faz o espectador esperar mais. Mas o que oferece é um pastiche.

A história tenta inovar: Bruce Wayne (Christian Bale) vê os pais serem assassinados e, cheio de fúria, resolve estudar a mente criminosa para fazer justiça e punir os criminosos. Antes de virar o homem-morcego, vai a um mosteiro oriental de uma seita de fanáticos autoproclamados justiceiros, a Liga das Sombras, de onde sai perito em técnicas de combate, em artes ninja etc., ensinado por seu orientador interpretado por Lian Neeson. O espectador medianamente conhecedor de cinema logo reconhece o tema do homem que vai a um mosteiro zen e volta de lá conhecedor de habilidades combativas e com certos poderes psíquicos: citação descarada a O Sombra (The Shadow).

batman-beginsA partir daí Bruce, sempre acompanhado pelo mordomo Alfred (Michel Caine, soberbo como sempre), transforma-se em Batman, personalidade tirada de seu medo por morcegos. Outro que o ajuda é um inventor ou sujeito a cargo de inventos militares, interpretado por Morgan Freeman, aliás em personagem que nos faz lembrar logo de Q., inventor das engenhocas de James Bond. Por fim, há o sargento O’Hara (antes de subir de patente), encarnado pelo camaleão Gary Oldman. E lá vai Batman combatendo o crime organizado. Propositadamente o clima é “sombrio”, mas eu diria que é mais “escuro” – Nolan não soube traduzir em imagens a “sombriedade” de Batman, ao contrário de Burton, que faz de Gothan City uma representação exterior da alma sinistra de Batman (um velho truque do expressionismo alemão). Não só Gothan era o espelho de Batman, também o Asilo Arkhan (nome de uma cidade amedrontada por feiticeiros num filme de Roger Corman) reproduzia a loucura sem disfarces que poderia ser a alma de Bruce Wayne, não fosse sua sublimação – em Arkhan estão aqueles que afundaram no inferno de Tanatos e a ele sucumbiram. Mas aqui Gothan é só uma cidade corrupta e futurista. Ponto pra Burton. No meio da história surge o Espantalho causando medo com uma substância criadora de pânico.

O próprio Batman é uma figura decepcionante nas mãos de Nolan. Primeiro porque Christian Bale lembra George Clooney, que encarnou o neo-vampiro sob o feérico Joel Schumacher – e afundou Batman, numa concepção bem emo. Além do mais Bale está péssimo sob a máscara do morcego. Em close mostra uma cara gorda. Batman merecia mais respeito, sobretudo porque a idéia era partir da HQ de Frank Miller “O cavaleiro das trevas”, que ressuscitou Batman.

batman-begins_01A psicanálise nem tem nada a fazer aqui. O Batman de Nolan não tem profundidade que sirva a uma análise, no máximo daria para uma “interpretose”. Burton faz o espectador entender que Batman é tão cruel quanto os psicopatas que combate, porém se redime porque sua agressividade, sua pulsão de morte, está a serviço da justiça, logo da pulsão de Eros e da vida. O Batman de Nolan age por raiva inexplicada, já que ninguém vira vingador porque viu os pais serem assassinados. Pode virar policial, advogado ou criminoso, sabe-se lá. Mas o motivo é muito fraco, isso desde que Bob Kane criou o personagem e teve problemas com a censura americana por causa da violência do morcegão. Parece que só Miller – e Burton – sacaram que Batman encontra na morte dos pais o significado (da qual o Batman é o significante) para soltar as feras.

Batman Begins termina prometendo a aparição do Joker ou Coringa. E ele aparece em Cavaleiros das Trevas…

Saudações Vampirescas.

Por: Vampira Olímpia.

Batman Begins
Direção: Christopher Nolan

Gênero: Aventura, História em Quadrinhos, Ação, Suspense
EUA – 2005

Anúncios

8 comentários em “Batman Begins (2005)

  1. Oi ……..
    não pretendo comentar sobre o filme mencionado acima, mas gostaria de ver uma postagem do filme “A classe operária vai ao paraíso” [Cinema Italiano], pois o filme é muito bom.

    Ps. me desculpe ser inconveniente quanto ao comentário.

    Curtir

    • Oi Anderson!

      Inconveniência nenhuma. As sugestões são sempre bem-vindas. Vou procurar pelo filme.
      Agora, se quiser compartilhar um texto seu sobre esse filme, será um prazer publicar aqui.

      Volte sempre!

      Saudações Cinéfilas,

      Curtir

  2. Decepcionante é essa crítica.
    Eu discordo completamente sobre a qualidade do filme, já que pra mim Batman Begins fez justamente o que Burton NÃO FEZ, que foi tratar Batman como um ser humano e explorar o fato de que da sua psiquê sombria vinha a sua força.
    Ao invés disso, Burton apenas a usou como figura ilustrativa nos seus filmes. Só o fato deste filme retratar a motivação de Bruce em se vestir de morcego já o faz superior aos do Burton, onde vc podia se perguntar a toda hora porque diabos Bruce Wayne não usava um visual preto comum.
    Além disso, há cenas como as do estetoscópio do Dr. Thomas Wayne, que são de uma delicadeza que nenhum outro Batman alcançou antes. Christopher Nolan criou imagens lindas e emblemáticas no filme, como o reencontro de Bruce com os morcegos da caverna que mais tarde o ajudam a fugir do Asilo Arkhan, o revólver atirado no mar, a mansão em chamas, a explosão do monastério, a “inauguração” do Bat-Sinal, o Espantalho pondo fogo no Batman, Batman indo à forra com ele, o ataque ao Narrows, a carta do Coringa…
    Quanto à Christian Bale, o que eu posso dizer… que ele é o único que entendeu que Bruce Wayne e Batman NÃO SÃO a mesma pessoa, além de se entregar com paixão ao papel. Afinal, em O Operário ele estava pesando 54 quilos, só pele e osso, e pra Batman Begins, realizado meses depois, virou quase um halterofilista.

    A parte isso, o texto apresenta uma SÉRIE DE ERROS sobre o filme:

    1 – “Antes de virar o homem-morcego, vai a um mosteiro oriental de uma seita de fanáticos autoproclamados justiceiros, a Liga das Sombras, de onde sai perito em técnicas de combate, em artes ninja etc., ensinado por seu orientador interpretado por Lian Neeson.”

    Dois erros aí. Primeiro que é o próprio Bruce quem os chama de justiceiros e Henri Ducard nega tal afirmativa, e ainda critica a idéa que faz de justiceiros.
    E Bruce já era perito em técnicas de combate. Ele derruba SEIS homens na primeira cena do filme.

    2 – “O espectador medianamente conhecedor de cinema logo reconhece o tema do homem que vai a um mosteiro zen e volta de lá conhecedor de habilidades combativas e com certos poderes psíquicos: citação descarada a O Sombra (The Shadow).”

    Olha, eu pensei a mesma coisa sobre esse estilo de filme, inclusive lembrei do Sombra, mas você viajou nessa de “poderes psíquicos”.
    Até concordo que de alguma forma ele adquiriu um poder psicológico, senhor do seu próprio medo, mas “poderes psíquicos” só cabe à paranormalidade, que em momento algum é tratada em Batman Begins.
    O Sombra tem poderes psíquicos, o Batman não. Até porque aquilo foi uma citação, não um plágio. São histórias diferentes.
    As cenas que vc deve interpretado errado eram tão somente o ponto de vista de Bruce sob efeito da droga do medo, a mesma que o Espantalho usa depois.

    3 – “Por fim, há o sargento O’Hara (antes de subir de patente), encarnado pelo camaleão Gary Oldman.”

    Várias vezes eu digo que um dos grandes problemas das pessoas com esse filme é ir ver uma história chamada Begins (Começa) com idéias pré-supostas na cabeça.
    Essa é uma prova: Sargento O’Hara é nome de um personagem do seriado de TV do Batman dos anos 60 estrelado por Adam West, que só aparece nessa série.
    O personagem interpretado por Gary Oldman é o (Sargento, Tenente, Capitão e Comissário) Gordon, que por sinal também dava as caras no antigo seriado.

    4 – “E lá vai Batman combatendo o crime organizado. Propositadamente o clima é “sombrio”, mas eu diria que é mais “escuro” – Nolan não soube traduzir em imagens a “sombriedade” de Batman, ao contrário de Burton, que faz de Gothan City uma representação exterior da alma sinistra de Batman (um velho truque do expressionismo alemão). Não só Gothan era o espelho de Batman, tb o Asilo Arkhan (nome de uma cidade amedrontada por feiticeiros num filme de Roger Corman) reproduzia a loucura sem disfarces que poderia ser a alma de Bruce Wayne, não fosse sua sublimação – em Arkhan estão aqueles que afundaram no inferno de Tanatos e a ele sucumbiram. Mas aqui Gothan é só uma cidade corrupta e futurista. Ponto pra Burton.”

    Eu não vou entrar no mérito de discutir que uma fotografia mais realista de uma grande metrópole contemporânea e opressora pode servir tão bem à arte para se retratar a alma de um homem atormentado quanto uma fantasia gótica. O cinema tem vários exemplos disso.
    O que me incomoda é o seguinte: Ao contrário do que você afirma o Burton JAMAIS mostrou o Asilo Arkhan em seus filmes. Ironicamente o primeiro cineasta à filmar na “locação”nos cinemas foi Joel Shumacher em Batman Eternamente.

    5 – “Batman merecia mais respeito, sobretudo pq a idéia era partir da HQ de Frank Miller “O cavaleiro das trevas”, que ressuscitou Batman.”

    NA verdade a HQ do Miller que foi UMA das inspirações de Baman Begins foi Batman – Ano Um, que explora as origens do personagem.
    A HQ O Cavaleiro das Trevas, ao contrário, o mostra velho em fim de carreira.

    Sobre as motivações do Batman à luz da psicanálise eu recomendo este texto escrito pelo psicólogo clínico Júlio Peres sobre o filme:

    http://psimonica.blogspot.com/2009/02/o-trauma-de-bruce-wayne.html

    E aqui uma amostra do trabalho físico bizarro que Christian Bale teve que se submeter para interpretar Batman, após o Operário:

    Curtir

  3. É isso ai Corto Maltese,concordo plenamente contigo, Decepcionante é essa crítica.Batman Begins e Batman: O Cavaleiro das Trevas são ótimos e realmente fazem jús aos quadrinhos do Homem-Morcego sendo sombrio o quanto e mostrando a Inteligencia do Batman e a Humanidade e Origem e a motivação e Inspiração para virar O Batman como é nos Quadrinhos com cenas ótimas de ação,e os Filmes de Burton tambem eram sombrios mais muitos fantasiosos e mostrava um Batman Assassino (e nas HQS O Batman não mata) e não mostrou quem realmente matou Os Pais dos Bruce,e os Filmes Carnaval de Joel Schumacher,e sem contar que Os Filmes do Batman de Nolan pela primeira vez mostra O Asilo Arkhan do jeito certo um lugar bem Sombrio e Importantissimo no Universo Sombrio do Batman.

    Curtir

  4. Oi, quando eu era adolescente tinha uma banca de revista na frente de minha casa e lembro ter visto uma história onde super homem entrega um revólvr com balas de krptonita para o batma, vc tem alguma foto desse epsódio ou sabe onde conseguir?

    Curtir

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s