Cinema Paradiso (Nuovo Cinema Paradiso. 1988)

cinema paradisoPor Rafael Lopes

Uma vez me perguntaram: “Porque você gosta tanto de cinema?”. Respondi: “Assista Cinema Paradiso e terá sua resposta.”.

O cinema é algo mágico. Desde garoto, quando ia nas matinês religiosamente acompanhado do meu pai, ficava ali, deslumbrado com a magia causada por “24 quadros por segundo”, numa sala escura, onde assistia a vida contada com sentimentos múltiplos. Talvez o que torna o cinema uma arte tão bela, seja a mitologia que ela consegue criar em todos. Quando nos impressionamos com uma cena de ação mirabolante, onde algo inimaginável está por acontecer e quando acontece, mesmo sabendo que é de “mentirinha”, você continua impressionado com o que viu e se pega perguntando ”…como eles fizeram isso?!”.

Só que através dos tempos essa magia foi se esgotando. Não assistimos mais aos filmes esperando aquele encanto que tanto nos enchia os olhos. Isso infelizmente acabou lá nos anos 50/70, antes de os grandes efeitos especiais dominarem tudo. Agora nos anos 2000, onde tudo parece ser mais artificial, onde tudo é gerado por um computador e não mais causa o impacto devido e fica apenas aquela sensação de diversão temporária. O cinema está desgastado? Não. As pessoas que aprenderam a não gostar mais.

Hoje o que temos é o DVD na casa de todo mundo, onde preferem ver no conforto de seus lares o que a indústria proporciona. Compram seus DVD’s em bancas piratas ou originais ou ainda alugam e pronto. Em casa mesmo. Mas em casa a coisa não é a mesma da sala escura.

Nada supera a magia que só a sala escura proporciona, aquele friosinho que a gente sente quando a luz apaga e a tela mostra a vida em seus “24 quadros por segundo”.

É sobre isso que Cinema Paradiso, filme italiano de 1989 dirigido por Giuseppe Tornatore, inspiradíssimo, que queria contar uma história de amor ao cinema, atrapalhada pelo progresso, como sabiamente comenta o personagem Alfredo em certo momento do filme. A sinceridade e sensação de nostalgia que o filme proporciona é incrível e indescritível, e faz com que os verdadeiros amantes do cinema, sintam a emoção de seus personagens em momentos cuidadosamente criados para despertas essas emoções.

É a história do pequeno Salvatore, ou melhor “Totó”, como é conhecido por todos da pequena cidade onde vivem na Sicília. A diversão do pequeno é passar o tempo livre no cinema Paradiso, uma das poucas opções de lazer da população local. Lá encontramos todo tipo de gente, mal educados, apaixonados, dorminhocos, falastrões, briguentos e porque não, os apaixonados por cinema, sendo um deles o pequeno Totó. Esperto, ele tenta por tudo conseguir a amizade do projecionista Alfredo (Philippe Noiret), um senhor de sorriso amigável e que logo se rende às astúcias do pequeno garoto.

cinema paradiso

Em meio as dificuldades, o garoto torna-se pupilo do velho projecionista e após um acidente, que deixa Alfredo deficiente, começa a trabalhar pra valer no ramo. O tempo vai passando e o pequeno Totó começa a enfrentar o mundo pra valer. A vida real tenta lhe tirar a imaginação que o cinema despertou nele, mas o amor pela sétima arte o transforma num grande cineasta.

Só que tudo isso longe de casa. 30 anos sem visitar a cidade onde cresceu, onde aprendeu a apaixonar o cinema.Tudo isso por causa das descrenças do velho Alfredo, que só queria ver o garoto feliz e com uma vida melhor, sem os fantasmas que ficaram na cidade velha. Totó volta para o enterro de Alfredo e se depara com todo o seu passado, sem fazer julgamentos, apenas o fazendo pensar em como tudo aquilo lhe foi importante, e como tudo aquilo foi crucial na sua vida.

Suas duas horas de duração são uma grande homenagem ao cinema e à magia que a sétima arte causa. Todos os sentimentos que um filme causa, são enaltecidos em praticamente todas as cenas do filme. Tudo o que o pequeno Totó faz para ir ao cinema nos faz sentir pequenos de novo, quando assistíamos aqueles filmes escondidos dos pais de madrugada (fiz muito isso), e juntávamos aqueles trocados pra alugar um filme na locadora, todas essas coisas que nos fazem perceber o que um filme verdadeiramente nos causa. Esse é o principal objetivo do filme e ele o alcança com muita graça e sucesso.

Muito bem dirigido, e emocionante na medida certa, com atuações fabulosas (principalmente por parte de Phillippe Noiret e do pequeno Salvatore Cascio – que interpreta o pequeno Totó na infância) e uma produção maravilhosa, Cinema Paradiso é um filme rico em detalhes, rico em sinceridade e sentimento, rico em cinema. Que além de emocionar – sem ser piegas em nenhum momento – abre espaço para discutir o avanço da tecnologia nesse ramo, e o triste fim das sessões de cinema.

Na cidade onde moro, assisti ao fim de um cinema há dois anos atrás, mais ou menos a época em que vi Cinema Paradiso a primeira vez, e refleti muito a cerca disso. Afinal de contas, era um cinema muito antigo por aqui, desde os anos 30 funcionando, onde assisti minhas primeiras sessões de cinema, e que fechou por causa da pirataria. Há uma passagem no filme onde o antigo dono do cinema comenta algo parecido.

Eles fecharam as portas porque simplesmente deixaram de ir ao cinema. Televisão e videocassete querendo ou não foram revoluções para a exibição de filmes, mas acredito que nenhum consiga fazer a experiência de assistir um filme ser tão mágica e intensa como num cinema.

Claro que tudo é mais intenso garças a trilha do monstro do cinema Ennio Morricone, linda em todos os momentos, perfeita em cada detalhe, encaixada perfeitamente dentro da proposta do filme. Inspiradora durante todo o filme, torna tudo mais agradável e delicioso, dando uma inocência prazerosa ao filme.

E o filme consegue passar tudo isso de maneira formidável, cito como exemplo, a alegria do povo que, sem poder entrar no cinema, consegue com a ajuda do esperto Alfredo, ver o filme sendo fora do cinema, quando o projecionista põe a imagem para ser passada dentro e fora do cinema ao mesmo tempo. Outra cena que mostra bem isso, é o cinema lotado e todo mundo rindo das palhaçadas do vagabundo Charlie Chaplin, ou chorando assistindo a filmes de Renoir, Viscontti, entre outros.

Mas o melhor mesmo, é ver o personagem Totó, já adulto e consagrado, assistindo a uma montagem de beijos, que eram censurados na sua infância pelo padre, e se emocionando muito com o que via. É a magia do cinema acontecendo.

cinema paradiso

Cinema Paradiso é um filme simples e sensível cheio de emoção e sentimento verdadeiro. Uma grande obra dedicada a quem ama a sétima arte, e principalmente, uma obra que quer dizer: “O cinema não morrerá!”.

Viva a Sétima Arte!

Nota: 10 (e com aplausos em pé).

Nuovo Cinema Paradiso, 1988 (Itália)
Direção: Giuseppe Tornatore.
Atores: Antonella Attili , Enzo Cannavale , Isa Danieli , Leo Gullotta , Marco Leonardi.
Duração: 123 min

Anúncios

6 comentários em “Cinema Paradiso (Nuovo Cinema Paradiso. 1988)

  1. Olha, parabéns pelo seu texto. Você falou sobre vários pontos que o filme aborda, como o valor do cinema que já não é mais o mesmo nos dias de hoje por causa da pirataria e dos efeitos especiais, sobre o poder do cinema e da sensação única de assistir um filme no escurinho do cinema, coisa que nenhum videocassete ou dvd pode proporcionar.

    Cinema Paradiso foi meu filme preferido Nº 1 durante bastante tempo, até que assisti A Felicidade não se Compra e teve que ficar sendo o 2º hehehehehee, mas tenho enorme paixão por ele, e creio que marcou a vida de muitos cinéfilos que já o assistiram. Parabéns pelo Texto. Abçss

    Andinhu

    Curtido por 1 pessoa

  2. Cinema Paradiso tem sido meu filme predileto há anos. Nunca assisti nenhum q o superasse em beleza e sensibilidade, sem falar na trilha sonora maravilhosa de Enio Morricone. Eu já acho q o Totó deixou mta coisa mal resolvida para trás (os fantasmas), como o amor por Elena. Talvez por isso nunca mais tenha retornado à sua cidade natal, já q sua família ficara lá. A sensação q o Totó adulto passa é de uma certa infelicidade, apesar do sucesso profissional. O final do filme nos leva a pensar em nossas escolhas, nas suas repercussões na nossa felicidade ou infelicidade.

    Curtido por 1 pessoa

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s