Atividade Paranormal

Como o ano está terminando, já posso me dar ao luxo de escolher entre o melhor e o pior filme do ano. Atividade Paranormal certamente estará na listinha do Troféu Framboesa de Ouro de 2009. Apesar do marketing muito bem caprichado feito pela distribuidora Paramount Pictures e foi exatamente o que me levou a assisti-lo, não posso negar que a minha decepção foi imensa.

O filme é razoável (elogio); tinha tudo para ser bom, pelo menos foi uma boa chamada do trailler, mostrando o seu lançamento e um suposto público na mais tensa expectativa e ansiedade, levando muitos sustos durante a sua projeção, mas tudo enganação, não era para tanto. Criou-se uma expectativa, mas deixou muito a desejar o cinéfilo de suspense / terror.

Atividade Paranormal é o primeiro filme do diretor e roteirista israelense Oren Peli que teve a idéia a partir de uma experiência pessoal (ele estava dormindo e foi acordado por uma caixa de detergente que caiu no chão e que o assustou) de baixíssimo orçamento, custando apenas 11 mil dólares, aos moldes do pseudo-documentário, o ótimo A Bruxa de Blair e do formidável Cloverfield (este a Paramount na época realizou uma imensa campanha para promovê-lo com ar de verossímil e credibilidade pelo formato de filme documentário), mas não vingou.

O roteiro é simplório: um casal de namorados que moram juntos. Ela Katie (Katie Featherston) que desde a infância se diz perseguida por espíritos e assombrações. O seu namorado Micah (Micah Sloat) acredita nela, resolve comprar uma potente filmadora para registrar possíveis acontecimentos paranormais dentro da casa e captar imagens do sobrenatural. Um documentário com formato de Big Brother. Filmado em apenas uma semana na própria casa do diretor, a maior parte no quarto do casal, dormindo. A filmadora fica ligada a noite toda e pela manhã é que o casal vai ver o que de imagem assombrosa foi captada.

A alma penada só aparece de madrugada. O casal só dorme de porta aberta. A porta bate sozinha. A moçoila é sonâmbula. Às vezes luzes da casa se acendem e se apagam pela suposta assombração; ouve-se barulho irreconhecível pela casa; outras vezes pegadas parecida com de um animal deixado no talco espalhado no assoalho. O casal nunca muda de posição na cama. Uma madrugada o rapaz vai verificar um barulho no alçapão e encontra uma foto da namorada. Outra madrugada ela aparece machucada e sangrando.

O casal resolve um dia dar uma saída e deixa o jogo Ouija, armado sobre a mesa e a criatura acaba mordendo a isca deixando mensagem indecifrável do  além. O casal procura ajuda de terceiros, uma espécie de médium, este, porém, diz não ter como ajudá-lo.

O filme nem um pouquinho de terror psicológico para disfarçar tem… não há tensão; é arrastado, a jovem é arrastada literalmente pelo espírito – ao clímax – o que torna a cena hilária, ao invés de assustar; (um curta talvez ficaria assistível) e pasmem, fez sucesso nos festivais independentes dos EUA, e os distribuidores deixaram o público votar se a fita deveria ou não ser lançado e isso só aconteceria se conseguisse o mínimo(?) de um milhão de votos. E não é que conseguiu facilmente? Tanto que ultrapassou a bilheteria do lançamento de A Bruxa de Blair, na época e já ultrapassou Jogos Mortais VI, ainda nos cinemas.

Dizer que a fita decepcionou só aguça a curiosidade de quem ainda não assistiu, pelo menos isso acontece comigo, mas quem não sofre de ansiedade pode muito bem aguardar chegar nas locadoras ou na tevê paga. E fim de conversa para não dar mais cartaz a este.

Sem créditos finais nenhum dando ar de documentário. O que salva o filme e está fazendo esse sucesso todo é a bem feita jogada de marketing. Realmente a propaganda é a alma do negócio.

Cotação: Ruim.

Karenina Rostov

_____________________________________________________

Atividade Paranormal

Titulo original: (Paranormal Activity)
Lançamento: 2009 (EUA)
Direção: Oren Peli
Atores: Katie Featherston , Micah Sloat , Mark Fredrichs , Ashley Palmer , Amber Armstrong
Duração: 86 min
Gênero: Terror

Anúncios

3 comentários em “Atividade Paranormal

  1. Ahhhhh, eu gostei do filme!!ahahahah.
    Não sei…acho que talvez consegui entrar bastante na brincadeira.
    Pra mim, Troféu Framboesa de Ouro de 2009 tem que ir pra saga Crepusculo, isso sim não apenas 1, mas 2 filmes péssimos.

    Curtir

    • Oi Ana Maria!
      Feliz 2010 também pra ti! E grata por gostar desse espaço!

      Eu já ia dormir, mas liguei o pc para ver se solucionava o porque estava trancado o postar comentário em ‘Avatar’. Enfim, agora já está liberado.

      Eu amei esse filme. Não consigo entender porque muitos não gostaram de ‘Avatar’.

      Beijo,

      Curtir

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s