Como Treinar o Seu Dragão (How to Train Your Dragon. 2010)

Quando vi o trailer desse filme logo me veio o pensamento de um outro cuja a voz do dragão era do ator Miguel Falabella. No qual ficou sensacional. O trailer eu vi com as vozes originais dos artistas escolhidos para essa Animação, mas não sei se por ser muito rápido as vozes não me agradaram muito. O lance é que verdade seja dita: O Brasil tem uma turma de Dubladores nota mil. Aliás, isso vem de longe. Tanto que eu em se tratando de filmes totalmente de Animação até prefiro na versão dublada. Um exemplo: a voz do Bussunda como o Shrek ficou memorável. A própria Disney elogia muito as vozes escolhidas no Brasil. Até me veio a vontade de escrever um texto sobre a voz dos dubladores brasileiros. Assim, gostei desse aqui na versão dublada.

Com o desenrolar da trama me veio a lembrança do Artur de ‘A Espada Era a Lei‘. Até pela estrutura franzina do protagonista de ‘Como Treinar o Seu Dragão‘, o Soluço. Em ambos os filmes privilegiavam mais a força bruta. O que tornava mais difícil a trajetória desses pequenos grandes heróis. O físico deveria ser um ferramental a mais, dando mais ênfase o uso da inteligência mental. Mesmo que não se tenha um raciocínio lógico dominante, e por vezes é até melhor, há de se fazer uso da ponderação. Raciocinar primeiro. Não se deixar levar cegamente pela emoção.

Nesse filme, enquanto os adultos estão sempre divididos entre seus afazeres e na frente de batalha, os adolescentes já são preparados para continuarem a mesma história: enfrentar e matar os dragões alados. Esses são os vilões, os inimigos dos habitantes da ilha. E esses aldeões são vikings.

Soluço fugiu do que seria normal do biotipo viking. O que entristecia o seu próprio pai, Estóico, que era o líder de todo o clã. Matar um outro ser mesmo para se defender não fazia parte da essência do menino. Mas se esse era mesmo o seu destino, ele o faria através de outras armas. É! Soluço gostava de desenhar. Mas projetar armas era mais uma saída inteligente para alguém como ele. Acontece que nem isso lhe davam uma chance de mostrar que seria capaz.

Ambos, Pai e Filho, não conseguiam dialogar. Intimidados até pelas circunstâncias, essa falta de diálogo comprometia o crescimento espiritual e mental do Soluço. Para tentar agradar ao pai, ele se auto-anulava. Por não ter o filho como desejado – sua imagem e semelhança -, seu pai o estava perdendo. Falavam a mesma língua, e não se entendiam. Porque o que contava era o julgamento dos outros. Mais a frente Soluço tem a chance de dialogar por sinais. O que pesou aqui foi o fato de serem diferentes entre os seus. De cara, ele até tentou ser como os demais de sua raça. Estava, como se dizem: com a faca e o queijo na mão. Mas sua essência falou mais alto. O que corrobora que isso é nato. Mesmo que o meio lhe seja desfavorável, a criança encontrará o seu caminho. Conto mais sobre Soluço e esse outro ser, mais adiante.

Soluço trabalhava como ajudante de ferreiro. Com um grande amigo de seu pai, o Bocão. Esse, também era o responsável em treinar os jovens a matarem os dragões. Bocão, por não poder estar mais a frente das grandes batalhas, no fundo torcia por Soluço.

Os dragões atacavam ao cair da noite, vinham atrás de alimentos. Era quase um – ‘Salve-se, quem puder! -, por conta da desigualdade entre eles: vikings no chão versus dragões alados. Numa dessas noites, Soluço com uma das suas engenhocas, consegue atingir um. Um da espécie Fúria da Noite. O mais temido. Mas esse temor era por conta de não saberem nada dessa espécie. No Grande Livro, sua pagina estava quase em branco.

Chateado por não acreditarem em seu grande feito Soluço se embrenha pela floresta. Nessa fuga descobre o tal dragão. Que além de ferido estava preso num emaranhado de cordas. É o momento que citei: Soluço teve a chance de matá-lo. Mas não quis. Mais! Sentindo-se responsável por ele não poder mais voar Soluço fabrica um meio. A grande questão era: colocar aquilo no dragão, e o ensinar a usá-lo. Ah sim! Nesses primeiros contatos, lembrei de ‘E.T.

E com essa nova amizade que surgia somos brindados com altas aventuras. Soluço o batiza de Banguela. Se faltou diálogo com o pai, aqui houve de sobra. Ambos foram se conhecendo. Onde além do querer bem, há o de se observar os detalhes. Isso não só ajuda a relação fluir melhor, mas o aprendizado também cresce, e a ponto de transmitir aos outros. Só que sendo ainda um menino, e muito do ridicularizado pelos outros, Soluço usa esse conhecimento para superar os outros concorrentes no curso com o Bocão. Era o uso da Razão no lugar da Força Física. Ah sim! Banguela retribui, levando Soluço a fazer uma grande descoberta…

Acontece que alguém ficou intrigada com o crescimento do Soluço no curso. Era a Astrid. A única mulher da turma. Que tinha também que mostrar, provar, que era uma brava guerreira. Colocando mais dificuldade na trajetória desse ainda iniciante herói. Mas ela não contava que Soluço era alguém sem armas. Que isso não fazia parte do seu ser. E nem seria com ela, que ele faria uso disso.

Soluço vem para mostrar que o mundo está armado demais. Que as pessoas reagem com mais agressividade. Sem dar chance até para perceber que o outro foi levado a também reagir assim, como no filme. Perpetuando um ciclo. É preciso que haja mais como o Soluço, para o mundo ficar em paz. É quase uma bandeira que levanto em meus textos: Pedindo que as pessoas se desarmem! Até porque muitas das vezes esses dragões não passam de moinhos de ventos.

Agora, eu quase estive a ponto de sair do Cinema. Tudo porque exibiram uma versão em 3D numa Sala que não está preparada para isso. A Fotografia ficou péssima. Só uma parte central que ficava nítida. Tudo mais ficava esbranquiçado. Tirando isso… O filme é excelente!

Por: Valéria Miguez (LELLA).

Como Treinar o seu Dragão (How to Train Your Dragon). 2010. EUA. Direção: Dean DeBlois e Chris Sanders. Elenco/Vozes: America Ferrera, Gerard Butler, Jonah Hill, Jay Baruchel, Christopher Mintz-Plasse. Gênero: Animação, Aventura, Comédia, Família, Fantasia. Duração: 98 minutos. Adaptação do livro infantil ‘How to Train Your Dragon’, de Cressida Cowell.

Os Dubladores de ‘Como Treinar o Seu Dragão’:
Soluço – Gustavo Pereira
Stoico – Mauro Ramos
Astrid – Luisa Palomanes
Bocão – Claudio Galvan
Melequento – Paulo Mathias
Perna-de-Peixe – Charles Emmanuel
Cabeçaquente – Lina Mendes
Cabeçadura – Caio Cesar
Tem mais aqui (Muito bom o trabalho de pesquisa de lá.): http://www.animatoons.com.br/how-to-train-your-dragon/os-dubladores-de-como-treinar-o-seu-dragao/

Anúncios

Um comentário em “Como Treinar o Seu Dragão (How to Train Your Dragon. 2010)

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s