Depois da Vida (After Life. 2009)

A cada dia de vida é também um de despedida. E.B.

After Life

Viver nada mais é que morrer a cada dia. Viver é para poucos. A única certeza da vida é a morte. Ninguém sabe o dia de amanhã. Para morrer, basta estar vivo. Está achando o assunto macabro? Quem aqui nunca ouviu ou pronunciou alguma dessas frases? Lembrei-me desse assunto após assistir ao filme After Life (Depois da Vida), que considero o mais instigante dos recém-lançados. Este ‘garimpei’ numa locadora. Há tempos uma história assim não mexia com o meu emocional, o último foi Império dos Sonhos de David Lynch. After Life é um thriller de terror psicológico. Um jeito despojado de contar uma história banal num formato poético e com pitadas de humor negro. O tema nada mais é que um assunto que está super na moda ultimamente no mundo da sétima arte: o que acontece depois que se morre? Existe vida após a morte? Vide Nosso Lar, Chico Xavier, Além da Vida (com Matt Damon) etc, entre outros em cartaz. É o primeiro longa da diretora e roteirista polonesa Agnieszka Wojtowicz-Vosloo que chegou ‘grande’, não deixando nenhuma dúvida para o que veio. O elenco foi cuidadosamente escolhido, contando com a talentosa Christina Ricci que me surpreendeu desde cedo em A Família Adams; o carisma de Liam Neeson no magistral filme A Lista de Schindler e os outros gabaritados, como Alfred Molina, Justin Long, Josh Charles e ainda Chandler Canterbury.

Depois da Vida é um filme inteligente e original. O mais intrigante do ano de 2010. O expectador sai da sessão sem saber o final. E vai discutir em rodas de amigos e cada um argumentará e defenderá seu ponto de vista e não se chegará a conclusão alguma. A dúvida persistirá. Vai se pensar neste filme por um longo período. Talvez chegue a um denominador comum guiado pelas pistas e sinais deixados no decorrer da história. Talvez predomine o bom senso. Mas será o final que de fato o diretor formulou para prevalecer? É uma obra aberta, não escancarada e depois de pronta não tem mais dono, pertencendo a quem se apossar dela, então posso resumir a história que em nada influenciará a quem ainda não assistiu, ou a parte que me pertence.

É a história da jovem Anna (Christina Ricci) que depois de sofrer um acidente de carro é levada para uma funerária local a fim de que seu corpo seja preparado para o velório. A partir daí coisas estranhas começam a acontecer. Ela parece estar viva. Morreu ou não morreu? Eis a questão. O agente funerário Eliot Deacon (Liam Neeson) pode ser um maníaco e a jovem estaria correndo risco de vida (?) e prestes a ser enterrada viva. É tudo verdade ou imaginação?

Confusa, e sentindo-se mais viva do que nunca, começa o drama e a agonia de Anna que enfrenta o diretor da funerária. Anna é (era) professora de ensino fundamental, e nesse dia, coisas estranhas acontecem com ela. O namorado, logo cedo na cama, percebe que ela não estava bem. Ambos vão para o trabalho e combinam de sair para jantar nessa noite. Nesse mesmo dia, após o trabalho, Anna vai à funerária para o velório de um amigo. Lá ela percebe que o defunto se mexe. Seria imaginação dela? Depois Anna resolve passar num salão de cabeleireiro para mudar radicalmente o visual, substituindo o tom escuro dos cabelos para um vermelho vivo. No meio do jantar, o seu noivo decide fazer duas surpresas: entregando-lhe um anel como pedido de casamento e informando que fora promovido e que seria transferido para outra cidade e ela deveria acompanhá-lo nessa mudança. No meio da conversa nesse jantar, Anna entende tudo errado, o casal discute no restaurante, e ela nervosa, sai desesperada, dirige em alta velocidade e acaba sofrendo um acidente. Somente a família é avisada e Paul, o noivo, por enquanto nada sabe.

Paul estranha que nessa noite sua noiva não voltou para casa, nem fazia idéia que nesse momento ela já se encontrava numa funerária. A mãe de Anna vai à funerária e decide enterrar sua filha dois dias depois do ocorrido. Lá começa algo sobrenatural entre a morta (?) e o diretor da mesma. Eliot prepara a moça para o funeral e a partir daí é com o expectador, e começa a viagem entre o estar ou não vivo/morto. Anna não acredita estar morta, apesar de o diretor da casa funerária lhe garantir que ela se encontra numa fase de transição para o “pós-vida”. Anna pergunta como ela pode estar morta se está conversando com ele. E ele lhe responde que tem a capacidade de conversar com os mortos. Afinal, quem está enganando quem? Anna tem certeza que não morreu. O agente funerário lhe aplica uma injeção e inventa uma história dizendo que é para o cadáver estar apresentável no velório. O expectador poderá transitar nessa história entre a verdade e a mentira; morte e vida, natural e sobrenatural algumas vezes. Há situações dando a atender que ela está viva: em um momento, Anna fica sozinha e Eliot esquece a chave da sala lá, e ela tenta sair, mas a chave quebra, e ele, o diretor da funerária, quando descobre que a esqueceu, volta desesperado para lá e sente-se aliviado por saber que ela não conseguiu sair. É uma aventura e tanto desvendar esse mistério, não acha?

A diretora magistralmente desconstrói o gênero terror, e sob uma nova ótica, num exercício elegante e excitante brinca, criativamente, com a metalinguagem. Brinca também com o expectador e inova com as convenções cinematográficas. Reorganiza os signos lingüísticos e seus significantes e significados de Morte, Pós-Morte e Vida. Caríssimo, conhece aquela outra frase “Tem muita gente que já morreu andando por aí e não sabe.”? Pois então, o expectador sai meio angustiado da sessão, também pelas dúvidas que inconscientemente são plantadas na mente. Além de tentar descobrir o que aconteceu com a personagem terá que descobrir o que acontece consigo mesmo. Talvez você se pergunte será que estou vivo? É bom estar vivo? Eu quero estar vivo? Ainda bem que estou vivo? Eu morri? Eu morri e não sei? Isso tudo não passa de brincadeira de mau gosto? Só se pensa na própria morte quando alguém próximo morre. Vai querer resolver isso num divã. Diria que é novo formato de narrar o sobrenatural, em poético-dramática sacudindo o “da poltrona” a fim de despertá-lo para a vida e para todas as reflexões possíveis, sobre a grande arte de se viver.

Há várias pistas para o expectador tentar desvendar o mistério que paira sobre After Life, entre estar vivo ou não, a protagonista morreu ou não? Decifre, se for capaz! Quando Anna está finalmente preparada para que velem o seu corpo, Eliot, pergunta-lhe se ela deseja sair para a vida ou continuar lá. Agora é com você, leitor, se quiser descobrir o final da história, não deixe de assistir.

Excepcional. Realmente cinema é a maior diversão. Psiu! Ei, você aí que está vivo, não deixe de testemunhar esta história!
Karenina Rostov

Agradecimento: Tiago Soares – Criador do desenho acima
*

Sinopse: Após sofrer um terrível acidente de trânsito, Anna (Christina Ricci) desperta sobre a mesa de trabalho de uma funerária. Eliot Deacon (Liam Neeson), o diretor do local fala que ela não está viva, mas que se encontra na transição entre a vida e a morte e que ele pode falar com ela porque tem a capacidade de se comunicar com os mortos. Assim, ele é o único que pode lhe oferecer ajuda. Paul (Justin Long), o noivo de Anna, sente que algo não vai bem e tem a percepção de que alguma coisa estranha acontece na funerária onde o corpo de sua noiva está sendo preparado para o funeral.

Título Original: Além da Vida

Gênero: Suspense / Thriller / Drama

Direção: Agnieszka Wojtowicz-Vosloo

Elenco: Liam Neeson, Christina Ricci, Celia Weston, Justin Long, Chandler Canterbury, Luz Alexandra Ramos

Ano de Produção: 2009

Lançamento Dezembro: 2010

Origem: EUA

Duração: 104 minutos

Anúncios

117 comentários em “Depois da Vida (After Life. 2009)

  1. Pois bem,

    O filme deixou a desejar. O que mais me intrigou foi o fato de o namorado dela ter sentido dor quando o agente funeral lhe enfiou aquele instrumento do qual nao sei o nome. A ana não sentiu dor em momento algum. É de se sentar e discutir o filme.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Leonando,

    Anna parecia sentir as espetadas das injeções.

    E ela chegou a ligar para o namorado e o aparelho dele tocou e ele atendeu.

    E a última vez que ela pediu para se olhar num espelho, o agente demonstrou um certo receio, mas lhe passou o objeto e ela então lhe disse que ele a havia enganado.

    “- Você me enganou.”

    Curtido por 1 pessoa

  3. Eu assisti mas conclui que o cara da funerária é um psicopata. Ele tenta convencer a pessoa que ela está morta.
    A moça não está morta porque: ela não consegue atravessar as paredes, precisa de chaves para sair. Ela não vê o corpo na maca mas ela sai da maca. Ela não consegue conversar com outros defuntos apenas tem alucinações.
    O cara da funerária tira fotos das pessoas mortas para o seu prazer.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Boas observações, Tania!

    As fotos que ele tirou parecem de pessoas dormindo e não mortas..

    Mas você não ficou intrigada com o título AFTER LIFE?
    Será que foi proposital ou foi para confundir mesmo?

    Curtido por 1 pessoa

  5. Eu vi o filme, e me identifiquei 100% com o descrito no texto, as questões e até mesmo as insinuadas conclusões.
    É um filme chocante, sem dúvida. E as respostas estão em um patamar que não conseguimos alcançar, afinal, poucos enterrados vivos, sobreviveram para contar…
    Chocante! Realmente chocante!

    E realmente, tem gente que já está morto e quando tem uma chance de agarrar a vida, a ignora, por comodidade, ou até mesmo por medo de morrer! (que ironia)

    It is..

    Curtido por 1 pessoa

  6. Grazielli,

    Você tem razão quando diz que minhas conclusões finais passam mensagens com pitadas de insinuações. Acontece que foi exatamente essa a idéia do filme (a minha impressão) e a mensagem nas entrelinhas que a história me passou de se questionar a própria existência, de não se ficar apenas na questão filosófica, e sim repensar a vida e vivê-la intensamente da melhor forma possível como se fosse último dia. O que se faz com o bem mais precioso que se tem, banalizando-a, tornando-a insignificante, fazendo coisas sem sentido que se poderá arrepender mais adiante?

    Talvez uma mensagem do tipo “Ei, acorde para a vida! Não a desperdice com bobagem, ela efêmera, portanto, cuide dessa jóia rara que é você mesmo!”
    E ninguém melhor para fazer isso senão a gente mesmo.

    Bom ouvir sua opinião. Grande abraço.

    Curtido por 1 pessoa

  7. Eu assisti esse filme em casa, e se você reparar, há cenas em que anna parecer estar morta mesmo, como por exemplo as injeções, o momento que ele costura sua testa e no abdomen, mas o fato de ela sair da cama de mármore e não deixar o corpo, mas também de ela ligar pro namorado e sua voz ficar destorcida ao telefone, esse filme instiga nosso mais íntimo pensamento e afirmação sobre vida após a morte;
    ou será que o diretor é um assassino, ou um doente mental que pensa falar com os mortos?
    Nota-se que ele aplica uma injeção que os policiais dizem deixar a pessoa praticamente morta, mas depois ela acorda normalmente, será que anna estaria sendo vítima de uma punição por não valorizar sua vida e viver da forma correta, aproveitando o que a vida lhes dá de bom para vivenciarmos a cada dia que passa.
    Bom pessoal essa é minha opinião.

    Curtido por 1 pessoa

  8. Oi, Thiago,

    Gostei do seu ponto de vista lembrando de situações que mostrem que Anna definitivamente morreu.

    E o garoto que viu Anna na janela usando vestido vermelho e depois contou ao Paul, deve ser o tipo de criança que “I see dead peaple”, e Paul, passando em frente a uma loja vê um vestido na vitrine igual ao que sua noiva usava naquela noite, ficou desconfiado e começou a ‘investigar’ o caso.

    “anna estaria sendo vítima de uma punição por não valorizar sua vida e viver da forma correta, aproveitando o que a vida lhes dá de bom para vivenciarmos a cada dia que passa.”

    Pode ser…

    Curtido por 1 pessoa

    • ola entao ela noa morreu tem uma parte que o noivo dela ta na delegacia que um policial fala o nome de uma droga e antes do veloria dela o cara fala o nome da msm droga se nao me engano a o policial fala o nome em 1:15 por ai e dps o agente funerario fala o nome da droga em 1:24 ms ou menos ele a enterrou viva no final ele mata o noivo dela

      Curtir

  9. Em duas passagens do filme em que ela se encontra em frente a um espelho, o vidro do espelho embaca com o calor da respiracao dela, isso prova q ela estava viva pois um morto no teria respiracao nenhuma muito menos corpo quente.

    Eu acredito q ela estava viva!

    Curtido por 1 pessoa

  10. Dani,

    Você me fez lembrar a obra machadiana DOM CASMURRO, que até hoje, que eu saiba, não se chegou a nenhuma conclusão quanto à traição ou não de Capitu.

    Penso que Capitu não traiu Bentinho.

    E ANNA foi enterrada viva?

    Um abraço.

    Curtido por 1 pessoa

  11. Olá, também tenho minhas certas dúvidas, acho que ela não estava morta. Mas acho que se o Paul morreu foi por culpa do Eliot, afinal foi um acidente de carro, e se for olhar bem no fim do filme o Eliot estava em um carro com o menino Jack. Acho que Anna foi enterrada viva e só depois morreu….esse filme realmente deixa muitas perguntas.
    E o vapor no espelho, se ela estivesse morta mesmo não haveria calor, nem respiração nem nada… e também o corpo dela permaneceria na mesa e somente o espirito dela sairia. acho que Eliot era um psicopata. afinal ele tirava foto de todas elas…

    espero que tenham entendido ;*
    Bjos

    Curtir

  12. Poie é Cátia,

    Acredito que “há mais mistério entre o céu e a terra do que sonha nossa vã filosofia”.

    Há uns três anos atrás asssisti a uma entrevista de um cineasta brasileiro contando que desde cedo era apaixonado por cinema, em especial por filmes de terror. Quase nada o apavorava. Ele uma vez estava em um velório e encarou tanto o defunto que acabou comentando com todos os presentes que o mesmo estava vivo, apenas dormia. Ele tinha razão: o homem que estava sendo velado, de repente, se levantou do caixão e todos saíram correndo, com exceção do menimo.

    Parece história de cinema, não?

    *

    After Life tem um argumento simples, mas o bom dele é o lado exigente, é essa cobrança imposta ao expectador que ele se vire para desvendar esse mistério.

    Anna foi mostrada debaixo da terra, dentro do caixão, pedindo socorro. Mesmo assim…

    O que você acha?

    Beijos.

    Curtir

  13. Esse filme é realmente bom, prendeu minha atenção do início ao fim e olha que eu costumo dormir assistindo filmes :*

    Concordo com a teoria de que ela estava viva, ele estava drogando ela
    fazendo-a adquirir um aspecto de morta.

    Ou os mortos do século XXI, não são mais igual os de antigamente hahaha
    por que já conseguem até fazer ligações e se olhar no espelho.

    Karenina você está de parabéns escreve muito bem.

    Curtir

  14. Schalkoski,

    Penso como você, apesar de que uma amiga que também acabou de ver quase me convenceu do contrário, de que ela já era banquete de vermes.

    Vou arrumar um tempo para ver de novo o que vale muito a pena, não?

    Ah, não me estrague com esse elogio que fico toda boba e sem graça.

    Obrigada por tudo e volte sempre.

    Bjs.

    Curtir

  15. Claro que ela estava viva,

    indícios não faltam:
    * a cicatriz na cabeça se foi
    * o vapor da respiração no espelho
    * e quando o seu noivo ouviu a sua voz por telefone

    no mais foi sadismo macabro do Eliot.

    Curtir

  16. Camilo,

    Sua resposta é firme e decisiva: gostei!

    Não me esqueço de que Eliot ficou muito preocupado e desesperado quando colocou a mão no bolso e descobriu que estava sem as chaves. Acabou voltando às pressas para casa.

    Bjs.

    Curtir

  17. Agda,

    Você conseguiu desvendar o mistério, ou decifrar o enigma…

    Nossa, logo eu que vivo dizendo que o título é meio caminho andado da proposta de uma obra. Você tem razão, menina! A resposta está no próprio título:

    After. Life – Ela estava MESMO viva o tempo todo.

    Taí, adorei! Muito obrigada pela ótima participação.

    Obrigada! Beijos.

    Karenina

    Curtir

  18. Oi galera

    Nossa eu rodei pra assitir esse filme , pois achava que seria mais um besterol.mais me enganei, o filme é show e lendo todos esses comentários foi só aumentando a minha certeza que ela estava viva e um detalhe no filme que vcs não perceberam o Eliot foi quem provocou o acidente , pois se vcs repararem no carro que estava atras da ana é o mesmo que ele usa e que no final aparece depois do acidente do rapaz .acho que ele e um revoltado com pessoas que não dão valor a vida ou algo parecido .ele estava ensinando o menino e no momento que ele enterra o pintinho a ana tambem e enterrada , isso significa que ambos estavam vivos , mais não aproveitava a vida com medo de vive la.resumindo aproveitem essa vida cuide se ame respeite e agradeça todos os dias a Deus .beijos

    Curtir

  19. Olá, Lenny!

    Estou começando a gostar dessa diretora bem maquiavélica para nos despertar da mesmice e forçar a nossa imaginação. Fiquei pensando como elaborou o desfecho desta instigante e intrigante história. Ela fez questão de mostrar Anna embaixo da terra, dentro do caixão, tentando se salvar. Como se explica isso? Seira uma mensagem subliminar?

    Bem, é um filme que mexe com o emocional de qualquer um, não acha?

    Obrigada.

    Beijos.

    Curtir

  20. Nunca nem tinha ouvido falar do filme, assisti hoje e cá estou eu procurando informações. Rs. Tb acho que ela estava viva, além do próprio título há diversos outros indícios: um dom nao se ensina ou a pessoa tem ou nao tem; logo, qdo o menino enterra o pintinho vivo, demonstra-se que nada do que lhe foi passado tem de sobrenatural; qdo o diretor conversa com outros mortos nao escutamos a voz destes mortos, como ocorre com o irmão do policial; além da questão do espelho e etc; além do mais, ele oferece a ela uma segunda chance e ela nao tem coragem de atravessar a porta… se ela estivesse morta, como poderia o diretor lhe oferecer outra chance ?

    Curtir

  21. OI pessoal, vi o filme ontem e…não sei as respostas ! Concordo parcialmente com cada um. Mas não vi ninguém citar uma coisa que notei : uma das fotos dos mortos na parede é do menino JACK !!! Tenho certeza que é ele, ao lado daquela senhora que aparece p/ a Anna escovando o cabelo. E vcs percebam que ele não interage com mais ninguém, aliás, nem a Anna interage c/ mais ninguém, somente c/ o Deacon, Paul e Jack (e os 2 meninos que estavam perturbando o Jack no inicio). E aquela cena do corredor da escola vazio, sem luz, a porta que ela não abre mas o Jack consegue abrir facilmente, a mãe dele que não vai buscá-lo … tudo sinais sutis de que as coisas ali não são realmente de uma vida acontecendo normalmente.
    Então pensei uma coisa mais “doida” ainda : que a Anna já começa o filme no estado de “transição”, digamos, e que o acidente já teria acontecido bem antes de todo o resto. O Jack já é um espírito e o Deacon é realmente um tipo de intermediário que ajuda aqueles que ainda não acordaram para a vida depois da morte (seria o After . Life). Estão todos meio que numa dimensão paralela, inclusive “aquilo” que o Jack chama de mãe (definitivamente, não é uma pessoa viva). Esse estado dela “mais -prá-lá-do-que-pra-cá” justificaria a letargia dela ao fazer sexo, ao tomar banho, etc. (seria tudo isso só uma lembrança da vida que já se foi ????)
    Bom, nessa minha teoria maluca o filme seria na verdade sobre a morte (ou não-morte) do Paul, que na verdade desistiu da vida e provocou o acidente por não suportar viver sem a amada. Ele mesmo diz, ao supostamente desenterrá-la no cemitério, que não suporta viver sem ela. O reencontro dos dois após ele resgatá-la da cova nunca aconteceu … seria uma projeção dele no momento do acidente dele. E ela ficou presa entre os 2 “mundos” por sentir-se culpada de não ter entendido a real intenção do namorado qdo. ele falou da mudança para Chicago, ela entendeu tudo errado e se precipitou fugindo e provocando o acidente onde de fato morreu.
    Enfim, na minha opinião, pobre Paul …
    bjos, desculpem o tamanho da “bíblia…” rs

    Curtir

  22. Olá, Gustavo,

    Você lembrou muito bem:

    Se a protagonista de fato estivesse morta porque o agente lhe ofereceria uma segunda chance? E porque ela nao teve coragem de atravessar a porta… se ela estivesse morta, como poderia o diretor lhe oferecer outra chance? Bom, isso é um mistério.

    Obrigada! Volte mais vezes.

    Abraços.

    Curtir

  23. Oi, Wania,

    Muito iteressante todas as suas observações, realmente sob outra ótica que eu ainda não tinha pensado.

    Procede essa de Anna já começando o filme no estado de “transição”, digamos, e que o acidente já teria acontecido bem antes de todo o resto.

    E a foto do JACK, bem, como comentei, terei que assistir ao filme novamente.

    Pode ser que seja isso…

    Obrigada pelo ótimo comentário que nos ajuda e entender um pouco mais o que de fato aconteceu… ou seria para nos confundir ainda mais?

    Gostei. Volte mais vezes.

    Grande abraço!

    Curtir

  24. vai passar novamente amanhã, 18/08 a tarde no TCP, vou gravar e rever, quem sabe reveja meus conceitos … rs
    ou explica ou confunde mais um pouquinho, veremos …
    abraços a todos

    Curtir

    • Wania,

      grata também pela dica!
      E na grade, o filme está com o título de “Além da Vida”. Estou notificando para quem mais querer ver, ou rever.

      Início: 14:50h, no Telecine Premium.

      Vou tentar, não perder a chance de ver..

      Curtir

  25. Ela estava viva! Algo q deixa muito claro essa afirmativa é que Eliot fecha rapidamente o caixão quando percebe que Anna está acordando no velório. Porém algumas coisas me intrigaram…Como Eliot conseguia trazer os corpos para o necrotério? Era ele mesmo quem fazia os atestados de óbito?

    Abraço à todos!

    Curtir

    • Alexandro,

      os corpos ele ia apanhar no hospital. Também não era ele quem atestava as mortes. Essa parte, ficamos sabendo pelos telefonemas dele.

      Agora, é por Paul, na Delegacia, que ficamos sabendo o quanto era relapso os legistas do hospital. Por darem como mortos, sem maiores exames.

      Bem instigante o filme, né!

      Curtir

  26. Oi, Alexandro, bem-vindo!

    Bem lembrado: ele fechou o caixão quando percebeu que Anna estava acordando, não deixando dúvida de que…

    Grande abraço!

    Curtir

  27. Nossa! Assisti. E para mim ela estava viva. Mas desistindo da vida por acreditar que Paul iria abandoná-la. A morbidez dela fora lapidada pela mãe desde a infância. Então ficou fácil se deixar influenciar pelo Elliot. Que até pode ter o poder de ver os mortos, mas era um psicopata.

    O que provava que ela estava viva:
    – a respiração no espelho;
    – Elliot se preocupou com as chaves;
    – manter sempre bem frio a sala;
    – as injeções, que só no final sabemos do que se trata;
    – o fechar o caixão rapidamente;
    – o sangue nos dedos ao socar o caixão.

    Muito bom o filme!

    Curtir

  28. E tem uma coisa também: as fotos são sempre das pessoas com algum olhar para lente, alguma pose… Nao demonstra qualquer mobidez… como registrar um dom em foto ? Se o que ele via nao era algo empírico, os registros (as fotos) deveriam – necessariamente – refletir pessoas mortas, o que nao ocorre.

    Curtir

    • Gustavo, ele fotografa após maquiar e vestir os corpos, e ainda na sala bem refrigerada. Dai, ficam até parecendo peças de um Museu de Cera.

      A questão é: Por que ter essas fotos num mural em seu próprio quarto?

      É mais que mórbido. É patológico!

      Curtir

    • Wania, não acho que Jack esteja morto. Pois pessoas não apenas viram quando Paul o esbofetiou, como uma pegou no menino.

      Talvez, esse personagem, Jack, veio também para uma continuação no futuro. No filme atual, ele veio para mostrar que há essa paranormalidade em outras pessoas. Inclusive com tendências sociopatas.

      Dele ter enterrado o pintinho ainda vivo, já é um indício.

      Curtir

  29. Cara, esse filme é muito bom! Assim que terminei de assistir fiquei pensando: merda de filme, hein… mas depois percebi o quão era bom!

    PS: Também vi a foto do menino na parede e também tenho certeza que era ele ò_ó credo.

    Curtir

  30. Ela estava viva, observe os pontos que mostra isso, no acidente dela, a van que esta atraz dela é a mesma do agente funerário, o policial fala da substancia que é mostrado com enfase após ela pedir para se ver no espelho uma última vez, e no cemitério quando ele esta medindo a cova dela ele fala para o garoto porque faz tudo isso.

    Curtir

  31. Acabo de assistir o filme.Meu,minha conclusão eh que ela estava viva e que aquele medico era um baita de um psicopata.
    Eu a toda instante ficava com a sensação de ele estar escondendo ela,fora as evidencias que o pessoal jah falou,a parada da injeção (eu nem sabia que depois que a pessoa morre o sangue continua bombeando sangue pro corpo… :B ) o espelho,ele não deixar o noivo dela ve-la e outras evidências.
    Como a autora do texto disse ,este filme serve para varias reflexões sobre a vida.
    Vou ateh procurar este filme Império dos Sonhos de David Lynch. ^^

    Curtir

  32. Confesso que fazia tempo que não assistia um filme que me fizesse pesquisar e debater e me deu uma certa “raiva” por ter deixado varias duvidas no ar!
    é mais um filme da linha Shutter Island.
    Mas vai ai minha humilde opnião.

    Varios fatos me levão a crer que ele era sim um psicopata, na hora que o policial fala o nome do remedio que paralisa os musculos e faz parecer que estava morto e depois o eliot usa esse mesmo remedio nela, ela consegue tocar nas coisas e senti-las. o vapor do halito dela no espelho e quando ela fala ” voce me enganou, voce me enganou ” o que eu acho é que Eliot arma todo um esquema para que ele acha que morrer é a salvação por isso ele ficava tão desesperado quando alguem se aproximava. e ele guarda todas as fotos das pessoas mortas e tambem ele ensina seu pequeno aprendiz como se fazer, e faz ele enterrar um pinto vivo dizendo “assim é melhor” ou seja ele acha que para aquelas pessoas viver fosse um sofrimento e morrer seria mais facil! por isso ele sempre fala “vai acabar logo”

    Mas ai vai outras coisas que me deixam a pensar! como ela conseguiria ficar 3 dias sem comer? sem beber agua? meio que dificil! é um filme a se pensar e aquele final que o garoto diz “use o cinto” para o namorado dela! realmente é um filme a se debater!

    Assistam Shutter Island, um dos melhores filmes que ja vi! seguido de Fight Club!

    Abraços!

    Curtir

  33. Olá. Assisti a esse filme hoje de manhã. às vezes achava que ela estava viva mesmo. Mas acho que a grande sacada do filme é avaliarmos nossa vida: o que estamos fazendo com ela? Vale a pena viver do modo como estou vivendo? Penso que é um filme para ressignificarmos nossa vida.
    Enquanto ainda há tempo!!!!!!!!!!!

    Curtir

  34. Rosemary,

    A grande sacada do filme é a brincadeira em torno do mais valioso motivo da existência humana, brincar com esses signos linguisticos, os paradoxos VIDA / MORTE é motivo para muita reflexão e debate. Daí em diante a interpretação dessa história é livre.

    Fiquei curiosa em saber qual é o modo que você está vivendo. Parece não estar satisfeita com algo, é a minha impressão. Sempre é tempo de mudar e de preferência para melhor.

    Obrigada pela participação.

    Abraços.

    Curtir

  35. Karina,

    Essa sua dúvida e compartilhada com a maioria. A personagem ter ou não morrido nos faz refletir sobre a importância e valor da VIDA. Ela é breve, portanto, que tal vivê-la da melhor forma possível?

    Anna morreu. Ela foi enterrada.

    Obrigada por partilhar suas impressões conosco.

    Abraços.

    Curtir

  36. Eu acho que ela estava viva…
    Quanto a duvida sobre falta de agua e comida, lembram que ela já estava bem fraquinha no final e ele mandava ele descansar o tempo todo.
    Outra pista é o fato de mostrá-la com a pele arrepiada de frio.

    No final mostra o ferimento abnominal dela em processo de cura. Depois de uma semana mais ou menos os ematomas começam a ficar amarelados.
    O ferimento da testa também vai cicatrizando com o tempo.

    Só a duvida é por que ela não sentia dor.

    Curtir

  37. quando a pessoa esta em estado de hipotermia ela NAO SENTE DOR, e mostra claramente ele sempre abaixando o grau do ambiente.
    acredito depois de ler varios comentario, acredito que ela ainda ESTAVA VIVA e ele forjava os atestados de OBITO, tanto para pessoas como o Namorado dela, descobriu a verdade, mas como ele estava bebado, o psicopata se aproveitou da situação. e o PINTINHO tambem estava VIVO!

    Curtido por 1 pessoa

  38. Cristiane de Jesus.

    Achei um filme muito marcante embora a tradução do título pela tv foi Além da vida.Mas não podemos esquecer que o irmão do policial não falou com ele,pois acredito ser o único a estar morto,e tbem as fotos que ele colecionava tds estavam com olhos abertos e até sorrindo,coisa na qual não aconteceu com o irmão do policial.
    Sem Mais Abraços.

    Curtir

  39. Ela estava viva sim..

    Eu não sei quanto esse composto brometo de hidronio..mas sei que o brometo de sódio é exatamente o que pode ser o tal ‘brometo de hidrono’ no qual ele usa para sedar suas vítimas!!
    Esse cara é um PSICOPATA primeiro quem tira foto de pessoas ‘desconhecidas’ e prende na parede???
    Porque ele estava seguindo ela no dia do acidente??? era a van dele certeza atras do carro!!
    E que morto pode fazer tudo que ela fez??? quebrar a sala dele toda,
    tocar nele ..e nem vou comentar o espelho né?? bem óbvio..para que convencer um morto de que esta morto??..lógico que ela estava viva..

    Curtir

  40. continuação..

    ela sentia frio..ele mudava a termperatura da sala..ela LIGOU para o novio..ele não estava louco..só desesperado..a criança viu ela também..e para variar o menino enterrou o pintinho vivo..sendo que a mãe dele era a pessoa ‘mais’ morta da história..ou seja isso tudo é para confundir as pessoas..até a foto do menino na parede que parecia ser o jack..SIM ELA ESTAVA VIVA!

    A criança sera o próximo psicopata infelizmente!!
    ja que o cara da funeraria era mais ‘pai’ do que a mãe era “mãe”

    FARO!

    Curtir

  41. Nossa assiti esse filme ontem, e hj de manha corri para ler comentarios sobre ele…confesso que estou com mais medo agora com tantas evidencias que na hora do filme..
    agora penso que ela estava viva,mas e o sangue que saia do nariz dela na hora do banho?
    e a mae do menino sempre na mesma situação?

    assustador

    Curtir

  42. Que Filme! “After Life” – Ficamos a pensar em algumas citações do Filme: 1 – “Pra que a gente morre? Pra que a Vida seja importante!” 2 – “O que você faria se tivesse outra chance”? 3 – “Muitos dizem que tem medo da morte, mas na verdade tem mais medo da vida”. 4 – “Ela não morreu, simplesmente não há mais vida nela”. 5 – “Vocês pensam que é só comer, “fazer cocô”, xixi, só isso pra dizer que está vivo”? 6 – “Vós mortos sempre dizem as mesmas coisas”… Ao avaliar no Filme, o mural de Fotos dos mortos organizado pelo “cara do necrotério” eu pensei em “matador em série”… “Aconselhei-me”… rrss… Ficar atenta sem julgar, esperar o final… Que final? Suspense!? SIM… Fica pra cada um avaliar a própria VIDA e saber se na verdade está vivo ou é um morto ambulante… Ao ler os Comentários na internet… Os menos capazes de questionar a própria vida afirmam que o Filme é “ruim”… Ora, o filme é EXCELENTE basta aplicar a mínima inteligência e interiorizar-se no dia-a-dia…

    Curtir

  43. EU JA TENHO A CONCLUSÃO DE TUDO….
    no começo quando ela ta no funeral deitada e ela acorda, nao sei se perceberam mas toda vez que ele dava a enjeçao ela nao conseguia se mexer e nem sentir dor logo no começo, isso significa que ele ja tinha aplicado uma antes dela acordar.
    outra vez que mostra que ela tava viva era na hora do espelho, quando ela se via, o espelho era daqueles de circo que engana as pessoas mostrando outra imagem, ela tinha respirado e ele limpou.
    outra vez, que mostra que ela tava viva é que morto nao consegue quebrar nem andar por ai e muito menos abrir portas e nem ligar pros outro. o autor quis dar uma enganada mas desde o começo eu ja sabia que ela tava viva. aquele menino que parecia ter o dom por que aquela mae dele parecia ta morta, até por que ela nunca ia buscar o menino no colegio, mas o pior foi ele ter enganado o menino dizendo que ele via os mortos, o pobrezinho matou o pinto o pobre do pintinho so estava assustado como disse anna no começo do filme………

    Curtir

  44. Minha opinião, O que o cara da Funerária é um psicopata. Como a Ana Taylor viu a boca do seu professor de piano se abrir no necrotério, o coveiro acha que ela iria desconfiar que ele estava vivo, daí vai atrás dela em seu furgão branco e provoca o acidente. Antes dos paramédicos chegarem ele injeta a tal substância que paralisa e daí quando eles chegam atestam o óbito. No necrotério, o psicopata tenta fazê-la acreditar que está morta, mas não está. No final do filme ele faz o mesmo com o namorado dela, pois ele descobriu que ela estava viva quando a beijou no caixão. Daí provoca outro acidente. Os dois acabam mortos, ela enterrada viva e ele depois de ser perfurado no peito pelo psicopata. O garotinho estava aprendendo a ser como ele, pois enterra o pintinho ainda vivo no quintal. Todas aquelas fotos no quarto do coveiro são das pessoas que foram mortas por ele.

    Curtir

  45. concordo totalmentEeeee, com a Rafaela! ele é um psicopata! logico!

    Reparem, o que entrega o resumo do filme, sao as fotos de um monte de gente de olho aberto, que ele cola na parede. reparem que quando mostra-se o mural de fotos, ouve-se vozes diversas, no fundo, dizendo- eu nao estou morto, etc… reparem, que o menino, enterra seu pintinho vivo, e joga terra por cima… o psicopata, ensinou um legado para o menininho…
    absolutamente, ela morreu sufocada, no caixao!
    e o psicopata, provocou o acidente de Paul, para que ele nao salvasse a Anna..
    basta vcs juntarem o quebra cabeça! o policial, fala do tal remedio que paralisa o corpo, e no final o filme mostra ele injetando o tal remedio nela..

    analisem, que ele abre a porta e dá a ela, uma segunda chance, se ela estivesse morta, ele nao teria esse poder!

    E por ultimo, a parte crucial, que entrega o resumo total do filme: Ele volta pra casa deseperado, quando percebe que as chaves nao estao no seu bolso!
    volta correndo, e ela ve, quando ele chega! e corre, pra cima da casa, e encosta em um objeto, e faz um barulho..

    Enfim, sem sombra de duvidas! ela estava viva, e ele a drogava, ela tinha alucinaçoes, por conta dos remedios, entenderam??

    basta vcs montarem o quebra cabeça! eu assisti 1 vez e meia, para entender o final.

    Resumo, ele é psicopata, ela estava viva, e no fim, ele mata o namorado dela, Paul, pois ele dirigia bebado, e o psicopata, bateu no carro, com sua van..

    Gente, morto, nao sopra bafo quente, no espelho… Analisem!

    Curtir

  46. continuaçao/

    voltei so pra concordar com o rapaz aí de cima, -Wally-

    ela conseguia tocar nas
    coisas e senti-las. o vapor do halito dela no espelho e quando ela fala ” voce me enganou, voce me enganou ” o que eu acho é que Eliot arma todo um esquema para que ele acha que morrer é a salvação por isso ele ficava tão desesperado quando alguem se aproximava. e ele guarda todas as fotos das pessoas mortas e tambem ele ensina seu pequeno aprendiz como se fazer, e faz ele enterrar um pinto vivo dizendo “assim é melhor” ou seja ele acha que para aquelas pessoas viver fosse um sofrimento e morrer seria mais facil! por isso ele sempre fala “vai acabar logo”

    -Entao gente, entenderam?
    o cara da funeraria , é um psicopata grave!

    reparem que ele seguia ela no dia do acidente… a van era a mesma, do acidente de Paul !

    Repararam??

    Mas quero deixar claro aki, que essa é minha opiniao…
    e quero dizer que virei fa do filme! amei o filme, bem inteligente! show!

    Curtir

  47. pra mim ela tava viva e o cara da funerária matou ela por vinganã tudo porque ela viu que o professor de piano se mexeu. O cara que tava seguindo ela de carro concerteza era o cara da funerária. No final ele pede pra que Paul va procurar a namorada com o intuito de provocar o acidente de carro, e no final de tudo mata-lo.

    Curtir

  48. O filme é muito interessante. Mostra claramente o que pode acontecer com a pessoa que não acredita ou não sabe sobre a vida após a morte. Temos que lembrar que não somos apenas um corpo físico e que o outro corpo, (espiritual) transcende a vida humana e se manifesta eu qualquer outra dimensão. Quando a pessoa não tem consciência disso, ou seja, não sabe que quando morre a vida continua… Acaba ficando como a Anna, uma parapsicótica póst-mortem, isto é, vivendo do lado de lá, pensando que ainda está aqui. Muitas pessoas que morreram vivem assim por décadas, assombrando quem tem medo. Muito triste isso. Parabéns pela exelente mostragem do filme nesta condição.

    Curtir

  49. Interessante um dos comentários que diz que desde o começo a garota poderá estar morta. O sangue no banheiro, a foto do menininho na parede e a relação que não êh mais a mesma com o namorado. Porém mortos não tem reflexo no espelho nem os deixam embaçados.

    Curtir

  50. Porém teve uma hora que ele conversou com o irmão do policial, e tinha uma voz respondendo ele mesmo, ai ele pintou a cara do defunto com batom. Só que mesmo assim fica sem explicação, como ela quebrou tudo la dentro … Acredito que o filme seja interpretação de cada um mesmo.

    Curtir

  51. Ela estava viva com certeza, É o próprio agente funerário que estava causando os acidentes com seu furgão branco tanto da garota quanto do namorado dela. Ele incentiva o menino a continuar bebendo e a pegar a estrada para ir ao cemitério, tanto que ele está esperando logo adiante com o garotinho no banco ao lado mexendo no volume do som do carro. E se a menina estivesse morta, pra que o desespero em voltar pra casa ao perceber que nao estava com as chaves, e porque nao deixar ngm ver o corpo da garota, alem de ficar tao preocupado com o relogio ( tempo em que a injecao perderia seu efeito) principalmente quando o policial pede para ver o corpo do seu irmao.

    Curtir

    • Eu acho q a foto do guri era só pra dar uma confundida mesmo, e se não me engano, mostra só a metade da foto, ou seja, não dá pra ter certeza de q é ele.

      Acredito que ele era mesmo um maluco, e o guri um psicopata mirim. Isso foi percebido pelo psicopata que resolveu deixar seu legado a ele. É isso!

      Curtir

      • Concordo com Fefe. A foto do menino era para confundir. O menino levou um sopapo do namorado da Anne na escola. O único morto era o irmão do policial, pois o Eliot (agente funerário) fala que o defunto não quer mais falar com ele. Acho que nunca falou. Curiosidade: há uma foto do irmão do policial no mural do Eliot?

        Curtir

  52. Eu acho q ela estava viva. Psicopata sempre observa suas vitimas, e ele tava observando ela desde o começo do filme e percebeu q ela era uma pessoa infeliz. Psicopatas geralmente sao muito inteligentes, e sempre querem passar uma liçao de moral. Ele mesmo explicou pro menino qdo estava cavando o cova que ele livra o mundo das pessoas q nao querem viver, ele desocupa o espaço para as q querem. E na hora q ele deu uma chance pra ela , ele estava testando , ele sabia q ela nao iria , pq mesmo q ela nao quisesse morrer, ela tinha tanto medo de viver, q preferiu conformar q estava morta mesmo e que tudo akilo acabaria… foi o caso do pintinho q no começo o garoto fala q ele estava morto e ela fala q ele só estava assustado , ou seja se ele estava tao assustado pra viver, tinha tanto medo da vida era melhor entao q morresse.
    Eles falaram q o medico nao estava trabalhando só o paramedico ele já deveria estar observando chegou antes q os paramedicos e aplicou a injeçao nela pra pensarem q ela estava morta. O fato dela estar muito fraca e nao sentir dor, é pq a sala estava gelada , ela já tava entrando num estado de hipotermia e tendo alucinaçoes tb. Pq todas as vezes q ela respirou embaçou o espelho a primeira vez ele limpou bem rapido qdo ela baixou a cabeça. E na hora q ela é enterrada ele fala q ela vai ter tempo pra pensar, ou seja pra dar valor a vida nekeles ultimos momentos. Acho q é como se ele desse um castigo pra pessoa , geralmente psicopatas meio q se acham Deuses e na cabeça doentia deles sempre acham q estao fazendo algum bem.

    Curtir

  53. ah talvez a mae do menino realmente estivesse morta, por isso sempre sentada, o menino já era bem esquisito , até os outros implicavam com ele, vai ver a mae dele já estava morta e ele continuava conversanco com ela como se ela estivesse viva e deixou ela lá no sofá. Desde o começo ele pede pra ir no funeral com a professora q criança pediria isso elas tem medo de mortos. o menino já devia ter tendencias psicopatas e o outro percebeu isso, o menino deveria ser parecido com ele qdo criança.

    Curtir

    • Concordo Shelly!Apenas acho que a mãe do menino estava viva,porém por ser uma pessoa alheia ao mundo(depressão?),o menino a via como morta,porque quando ele fala com ela,ela nem se mexe,mas quando ele sai,ela olha.Estava viva,mas não na opinião dele.
      O mesmo “dom” que Eliot tinha.Psicopata que acha que deve dar uma lição,fazer um favor às pessoas menos eufóricas/dinâmicas,digamos assim…
      Fiquei arrasada em constatar na segunda vez que vi o filme que sim,ele a enterrou viva (administrou em Anna brometo de hidrônio pouco antes do velório,a mesma medicação que o policial comentou que era usado para diminuir batimentos cardíacos e simular morte)e matou o namorado na hora que introduziu a cânula de aspiração nele.
      Só acha esse filme ruim quem tem preguiça de pensar!!

      Curtir

  54. Um filme realmente muito confuso, num certo momento acreditei que o roteiro estava exagerado, embolado, sem ruma. Porém, depois de pensar muito no roteiro e na proposta dele, um pequeno fato clareou toda a dúvida. quando o garoto enterra o pintinho vivo é a deixa de que Eliot Deacon sem dúvidas nenhuma é um psicopata obcecado pela valorização da vida em vida (Algo do tipo “Jogos Mortais”), e por isso faz as pessoas entenderem como é a morte e sofrerem as consequências dela quando são enterradas vivas. Realmente muitas margens para discussão, existem outros pontos no filme que identificam este meu argumento de que Eliot é um psicopata, basta ver o filme e identificá-los. Mas acredito que esse seja o caminho para entendermos a complexidade de um bom roteiro, ou será que o que nos convêm é sempre garantir o final premeditado.

    Curtir

  55. Concordo com o Caio ..ele disse TUDO!!!!!!

    Vi o filme ontem…meu deus que loucura..vim procurar na internet uma explicação para tudo isso..e achei que o Caio falou tudo..esse cara éum psicopata sim e ele realmente passou isso para a criança ja que a mae dele parece mesmo a pessoa mais morta do filme..o que intriga no filme é saber que o psicopata critica a forma das pessoas viverem e nao valorizar a vida , sabendo que ele mesmo vive a base delas, ele nao tem familia nem filhos ..aposto que se houver o 2º filme bem capaz do menino aprendiz dele ..dar continuidade e mata-lo por isso!!!

    Curtir

  56. Quanto a Anna, exite dubiedade, tendendo para que estivesse viva. Mas quanto a Paul as coisas são ainda menos claras. Há a cena em que ele chega ao cemitério e a desenterra, ainda a encontrando com vida, salvo engano. Mas logo após ela desaparece dos seus braços e há um retrocesso no tempo até o momento do acidente, dando a entender que daquele momento em diante tudo não passa de imaginação do já defunto Paul, já que ele sequer teria chegado ao cemitério. Durante todo filme fiquei achando que Anna estava viva, mas depois do ocorrido com Paul foi que me veio a dúvida.

    Curtir

  57. Terminei de assistir o filme e fiquei muuuuito tempo tentando entender o q tinha acontecido ali. Eu percebi aquilo q uma outra pessoa escreveu num dos comentários: qdo Anna está correndo em alta velocidade, pouco antes de acontecer o acidente, é mostrada a van do agente funerário atrás do carro da Anna. Ao decorrer de tdo o filme, fui tecendo mil e uma teorias a respeito do mistérido daquela história. O cara podia sim ser um psicopata; assim como a garota podia estar mesmo morta; o menino, q certa vez ficou esperando a mãe ir buscá-lo na escola até tarde e ela não foi, podia ter o mesmo dom q o agente funenário e ver e falar com pessoas mortas, e a mãe dele estar morta sem nenhum dos dois saberem disso (num dado momento, o agente funerário diz ao menino q a primeira pessoa morta com quem ele falou foi a sua mãe; e toda vez q o menino chegava em casa, lá estava a sua mãe, toda esquisita, estirada no sofá da sala vendo TV, e ela nem sequer falava com o garoto? Ela não parecia também estar morta?); o lance do pintinho também foi enigmático, pq no início do filme o menino aponta para o bichinho na gaiola e diz que ele está morto, mas Anna, a professora, diz q não, q ele apenas estava assustado… Isso me fez pensar, me confundiu… Será q já àquela altura o pintinho estava morto e o menino, q tinha o dom de se comunicar com seres mortos tal qual o agente funerário, foi quem percebeu isso, para mais tarde, no final do filme, enterrá-lo? Também fiquei imaginando q talvez fosse o agente funerário quem estivesse morto e não soubesse disso (assim como em sexto sentido) e Anna na verdade estivesse viva e fosse vítima de um cara morto q em vida teria sido agente funerário, mas q após a morte não teria aceitado esse fato imaginando ele ainda estar vivo. Fiquei imaginando q todas as pessoas q interagiam com ele no decorrer do filme também estivessem mortas, com excessão do menininho, q possuia o dom de falar com os mortos, e obviamente dos “cadáveres” que chegavam no necrotério para serem preparados, mas q na verdade nenhum deles estava de fato morto.

    Curtir

  58. Outra coisa a se pensar: na hora q o menino enterra o pintinho vivo… E a seguir vem a frase: vai ser melhor… Lembram qdo, no início do filme, o menino olha o pintinho junto com a professora e diz q ele está morto, qdo ela diz q não, ele apenas está assustado? Olha q pensamento interessante: o menino sempre foi um esquisitinho com tendências psicopatas, assim como o agente funerário, e se no início pensou q o pintinho estava morto (assim como o agente funerário pensava de seus “cadáveres”) era pq o pintinho não estava “vivo”, ou seja, saltitante e ativo como os outros da gaiola. Na opinião dele o pintinho estava morto pq não era como os outros, pq não estava “vivendo de fato”. O mesmo princípio q o agente funerário pegava pra si, as pessoas q não viviam ativamente também estavam mortas, mas não mortas literalmente, e sim mortas enquanto vivas, entendem?! Então, assim como o agente funerário as enterrava viva, pq pensava q “seria melhor assim”, já q elas não estava vivendo verdadeiramente suas vidas mesmo, no momento em q o menino enterrou o pintinho vivo, ele teve por base o mesmo princípio, de q “seria melhor assim” para o pintinho. O menino sempre foi esquisito, vivia com uma mãe esquisita, assim como o agente funerário, q afirmou q a primeira pessoa morta com quem falou foi sua própria mãe (quem garante q a mãe dele não era tão parada na vida e deprimida como a mãe daquele garotinho? Vai ver elas não estavam mortas, mas na cabeça deles, psicopatas, elas, assim como todos aqueles q nao estavam vivendo plenamente, já estavam mortos em vida. Vai ver o agente literário também enterrou a própria mae e imaginou q estava conversando com ela pq possuía um dom. Talvez ele tenha criado a ideia de ter um dom, somente para justificar suas atrocidades. E a partir do momento em q começou a conviver com o menino, acabou ensinando-o a desenvolver aquela loucura a q ele já era predisposto tb.

    Curtir

  59. Show de bola os comentários! Assim que terminei de assistir o filme pensei: vai dá muito pano para a manga a respeito da história.
    A verdade é só essa: ela estava morta e não aceitou o fato da passagem. Como diz no espiritismo, pessoas que não aceitam a morte pensam que tudo está como elas querem que esteja. Há vasto material sobre este assunto.
    Assim como nós fantasiamos a morte: quando morrermos como será do outro lado? Vou levar o que tenho? Vou aceitar? Como vou deixar para trás meus amigos e família? O efeito contrário também pode ser se formos analisar a vida se tivéssemos mortos.
    A Anna simplesmente não aceitava porque tinha a consciência que deixou muita coisa para trás pendente e queria resolvê-las de qualquer jeito. O namorado é explicado pelo delegado na delegacia, quando diz que ele está alucinando. É o trauma post morten por qual passamos. Ele não a viu na garagem da delegacia? Ele bateu no menino porque não se destituiu da idéia de ter perdido a Anna e não ter completado a vida que ele queria. O menino não avisou para ele usar o cinto?
    Basta que se faça relativização com os filme Ghost e o Sexto Sentido. Nos dois, tanto Patrick Swayze, quanto Bruce Willis não aceitam que estão mortos. No caso do Sexto Sentido é pior ainda.
    Concordo com todas as opiniões aqui postadas. A arte é isso, para ser interpretada, lida e revista.
    Parabéns a todos pelo grau de inteligência aqui exposto.

    Jair Heleno

    Curtir

  60. Eu acho que o menino JACK esta vivo, ele não é um fantasma, porque o policial cita ele, que foi agredido pelo namorado no colégio, é o psicopata vê que ANA é uma pessoa triste quando a esposa do primeiro defunto (professor de piano), fala que acha ela um pouco cansada, quando o coveiro vai observar ela pela a janela á vê desesperada chorando. Quando ANA sofre o acidente, é o carro branco do coveiro que esta atrás do carro dela, é provavelmente ele fez ela sofrer o acidente, e antes dos paramédicos chegarem ele aplico aquele injeção (brometo de hidronio) nela, que diminuem os batimentos cardíacos e dilatam as pupilas. EU ACHO QUE ELA ESTA VIVA, e o fato dela não sentir dor é porque ela esta com hipotermia, já que ela esta em uma sala muito fria, a todo estante o coveiro abaixa ainda mais a temperatura da sala onde ela está. E ANA é a única que conversa com coveiro, os outros defuntos não conversam com ele é nem com ANA. E no momento que a mãe e o policial vai a funerária ver os corpos o coveiro DOPA ela, é ainda fala pra mãe de ANA que a ALMA dela ainda está ali, lógico ela ainda esta viva. E quando ela levanta da maca, o corpo deveria ficar é só a alma se levantar, se estivesse mesmo morta. A cicatriz dele some porque ele passa um negocio igual base na pele dela, tampando a cicatriz. E o mesmo que ele usa no irmão do policial para tampar os machucados. O DOM do coveiro, e de falar com quem está entre a vida e a morte é não MORTOS. E quando ela aparece no sono de POOL com coração dela na mão, acho que ela está tentando alerta-lo que ainda está viva com coração batendo. E quando o coveiro vê que JACK viu ANA, ele tenta convencer o menino que ele também tem dom para ver os mortos. Quando o coveiro se lembra que ANA e NAMORADO brigaram antes do acidente, ele mente para ANA falando que o NAMORADO não chorou quando ficou sabendo de sua morte. Todas as fotos que ele tira algumas estão com o olho fechado, acho que esses estavam mortos de verdade, e os de olhos abertos ainda estavam vivos. O policial percebe que ANA se move. E quando o coveiro vê que ANA está acordando ele fecha imediatamente o caixão. E o coveiro instruiu o menino JACK, a falar para o NAMORADO a colocar sinto de segurança, já premeditando o morte do NAMORADO. o COVEIRO viu que o namorado estava bebendo é o incentivou a ver se ANA esta viva, para provocar o acidente dele, antes do acidente ele já estava na beira da estrada, esperando para aplicar o medicamento antes da chegada dos paramédicos. E ele matava todos que não dava valor na vida. FALAVA QUE NÃO HAVIA MAIS VIDA EM ANA, ela só fazia defecar e michar sufocando as pessoas que queria viver com o fedor deles, tirando o ar daqueles que queriam viver, por isso o coveiro tinha que enterrar todos eles. RESUMINDO ANA SEMPRE ESTEVE VIVA. Bem esse é o meu palpite !!!!

    Curtir

  61. CONCORDO PLENAMENTE COM JACQUE, MAS NÃO VAMOS MUITO LONGE, QUANDO ANNA SE OLHOU NO ESPELHO PERTO DA JANELA E ABAIXOU A CABEÇA O AR QUENTE QUE SAIU DE SUA BOCA EMBAÇOU O ESPELHO, E O AGENTE FUNERÁRIO LOGO SE PREOCUPOU EM LIMPAR. SE ELA ESTIVESSE MORTA ELE NÃO SE PREOCUPARIA COM ISSO, E A CERTEZA MAIOR FOI QUANDO ELA PEDIU PRA SE VER NO ESPELHO JA DENTRO DO CAIXÃO E NOVAMENTE O ESPELHO EMBAÇOU. ENTÃO FINALMENTE ELA ESTAVA VIVA.

    Curtir

  62. Anna estava VIVA o tempo todo!!
    Logo no começo nota-se a VAN(branca) do coveiro atrás do carro de Anna, ele, que após o acidente aplicou a injeção nela pra que o pessoal do hospital não percebesse que ela estava morta. Assim como quando o seu namorado sai descontrolado para ir tira-la do caixão, a VAN(branca) aparece denovo. E logo depois o coveiro fala para Jack(o menino) “já acabou…”
    Fica obvio que ele era um psicopata.
    E em relação a foto do menino morto, ele pode ter tido uma segunda chance, assim como o coveiro ofereceu a Anna.

    Curtir

  63. Galera…minha opinião.
    Ela estava morta, mas não aceitava sua condição. Na verdade, fiquei na dúvida o tempo inteiro, mas no final dá para perceber claramente que o noivo dela morreu. Afinal de contas, ele sofre o acidente e não percebe! ele olha pelo retrovisor, vê carros de polícia verificando o acidente, porém, não percebe que foi com ele. Ele acredita que desenterrou a Anna, quando na verdade, já estava morto.

    Curtir

  64. Vilhena, acho que podemos dizer que se ela chora, é licença poética do filme. Pensando no que os mortos não fazem, eles também não falam, não andam e não usam o telefone! E os vivos não aparecem no chuveiro como fantasmas sangrando com um coração na mão, mas como o filme é uma obra de ficção, tudo é possível. Aliás, até a a marca da respiração do espelho pode ser uma forma de mostrar que ela não aceitou a morte, e acha que ainda respira. Se tudo é alucinação, ela pode ver qualquer coisa. Acho que a ideia do filme é deixar-nos na dúvida mesmo, não há um certo e errado. Para quem acredita que ela estava realmente morta morta, há justificativas, para quem acrediva que estava viva até ser enterrada, também há explicação.

    Curtir

  65. Oi gente!!!
    Assisti esse filme a pouco tempo e quando terminei de assistir parecia mais um daqueles filmes sem pé nem cabeça, mas eu não paro de pensar nesse filme Maluco que as vezes penso que ela estava viva e as vezes acho q ela estava morta.
    Existem sinais que dão ideia que ela está viva e existem sinais que dão ideia de que ela está morta.
    Filme muito bom que deixa a dúvida se Anna estava mesmo viva ou não.
    Concordo com todos as observações feitas pelos colegas como: a respiração no espelho, a preocupação de Elliot quando esqueceu as chaves e de Anna ter ligado para o namorado.Mas pq ele não a ouviu. Vou assistir mais uma vez para prestar atenção em novos detalhes.

    Abraços.

    Curtir

  66. nao tenho tanta possibilidade de ver filmes que eu gosto, comedias, accao e dramas. Porque nao tenho tv, computador, internet. So por ler este texto da´ para perceber o quanto a historia complexa.

    Curtir

  67. O namorado. Dela. Foi Eliot quem. Matou. Pois. Ele. Enfia. Um. Ferro. No. Peito. Dele. Até. Ele. Morrer. !
    E. Qundo. Ana. E. Enterrada. Eliot fala pra. Ana. Pensar. Nosso. Enquanto. Tem. Tempo e. Olha. No. Relógio lógico. Que. Ela. Estava. Viva. O tempo. Todo. E. Ele. Tamb. Falou. Pra. Poul que. Ele. Não. Tinha. Muito. Tempo. Pra. Salva lá

    Curtir

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s