Super 8 – Uma bela homenagem às nossas sessões-da-tarde!

Num tempo onde não havia canais a cabo. Onde nossa sede por filmes era saciada em frente a televisão. Onde muito deles nos deixaram boas lembranças. Eis que, assistindo “Super 8” todo esse período voltou. Num agradável remember!

De início, eu ficava pensando em qual filme tinha visto aquela cena. Como também cheguei a pensar se “Super 8” seria uma refilmagem de tantas eram as cenas que buscava na memória por um par… Mas o mais interessante foi que isso não me incomodou. Até porque eu acompanhava atenta o filme. E foi por isso que eu conclui de que ele, o Diretor e Roteirista, J.J. Abrams, fez sim um resgate à nossa memória cinéfila. E o filme vem com um misto de Ação, Aventura, Drama, Romance, Sci-Fi, Suspense, e até um pouquinho de Terror. Tudo dosado para atrair um público teen, mas também agradando a nós com mais tempo de cinéfilo.

Na trama temos cinco amigos que se juntam para gravarem um filme, e com ele concorrer num Festival de Vídeos Amadores. São eles:
– Charles (Riley Griffiths), o Diretor e Roteirista;
– Joe (Joel Courtney), o maquiador;
– Cary (Ryan Lee), cuida dos efeitos especiais;
– Martin (Gabriel Basso), o galã e mocinho;
– Preston (Zach Mills), o cinegrafista e figurante.
Basicamente o filme deles é sobre um caçador de zumbis.

O filme começa com o velório da mãe de Joe. Finalzinho da década de 70. É quando conhecemos quase todos. Onde vemos também os pais de Charles conversando sobre o futuro de Joe. Muito ligado a mãe, e tendo sempre um pai ausente. Seu pai, Jackson (Kyle Chandleer), é o sub-xerife local. Nesse velório também conheceremos um outro pai em conflito, Dainard (Ron Eldard). Sendo que esse, o problema maior é o alcoolismo. Expulso por Jackson do velório, irá proibir a filha de se relacionar com Joe. Ela é Alice (Elle Fanning), a nova mocinha do filme dos garotos.

Meio que um “Romeu e Julieta“, Alice e Joe não se importam com o ódio entre seus pais. Gostam de estarem juntos. Se sentem ligados. Mas esse relacionamento só iniciará com uma pulada curta de tempo. Férias escolares, onde o grupo poderão se dedicar mais ao filme. Então, às escondidas dos pais, já tarde da noite, eles vão para a estação de trem gravarem a participação de Alice na trama.

Ao ouvirem que um trem se aproxima, Charles fica em êxtase, já que daria realismo ao seu filme. O trem passa direto, e enquanto todos estão focados nas filmagens, Joe que adora construir pequenos vagões, acompanha a passagem do trem. Com isso vê a colisão, como também em avisar a todos para saírem correndo. Com a batida do trem com uma caminhonete, além de explosões, há um descarrilhameto. Na fuga, a câmera super 8 tomba, e continua gravando.

Refeitos do susto, eles retornam aos destroços. Ainda em tempo de reconhecerem o motorista da caminhonete. É um professor do colégio, e tido como um cara exigente e esquisitão. Esse avisa para saírem dali, e não contarem a ninguém que estiveram ali. Para eles, seria até lógico já que saíram de casa às escondidas. Mas Joe leva um cubo estranho que caiu dos vagões. Talvez achando que não dariam falta, em meio a tantos. De longe, o grupo avista militares se aproximando do trem.

Nos próximos dias, a cidade vira um caos para os policiais, de tanto são as queixas de objetos que sumiram. Constantes apagões. E até pessoas desaparecendo, entre elas o xerife local. Jackson então assume a chefatura e as investigações. Além de não gostar da invasão dos militares, e até por deixá-lo de fora.

Só quando Joe e Charles veem o que a super 8 gravou é que eles começam a juntarem as peças daquilo que os militares estão escondendo. E para piorar, Alice torna-se uma das desaparecidas. Então os meninos resolvem investigar e tentar resgatar Alice. Como ajuda para escapar do cerco dos militares, arregimentam um cara chapadão (David Gallagher).

Como falei no início, “Super 8” nos leva a um doce review a alguns Clássicos das tardes diante da televisão. Que tendo Steven Spielberg como Produtor, me fez pensar também num “E.T.” com outra roupagem. Algo como: “Ele teria crescido!?“. Vale conferir! E não saiam antes dos créditos finais. Tem surpresa ai.

Bom filme, boa diversão! Gostei!

Por: Valéria Miguez (LELLA).

Super 8 (Super 8. 2011). EUA. Direção e Roteiro: J.J. Abrams. +Elenco. Gênero: Ação, Aventura, Drama, Romance, Sci-Fi, Suspense. Duração: 112 minutos.

Anúncios

5 comentários em “Super 8 – Uma bela homenagem às nossas sessões-da-tarde!

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s