Ferreira Gullar – O Canto e a Fúria (1994)

Uma parte de mim pesa, pondera: outra parte delira.”

Uau! O Diretor Zelito Viana fez poesia nesse Documentário. Ao traçar a vida do poeta Ferreira Gullar meio que ligou a câmera e deixou ele falar sem corte. Ora ilustrando com frases do autor, ora deixando ele mesmo declamar os poemas, ora falando de si. E ele o fez com paixão. Com o que me deixou encantada a ponto de querer rever tão logo acabou. Assisti pelo Canal Brasil.

Mas mesmo que eu tivesse ficado ali, nem assim o poema teria nascido senão agora, neste hoje, nesta página, pois a poesia tem seu próprio tempo e modo de nascer“.

Em “Ferreira Gullar – O Canto e a Fúria” além de se ter uma radiografia desse poeta, nos levar a até quebrar alguns paradigmas. Ferreira nos conta que na casa dele não havia livros, que os lia na escola. O que nos mostra que tanto o talento como o gostar de leituras, é algo nato. Ao continuar traçando a sua história, encanta em nos mostrar que poesia não é apenas um jogo de palavras. Pois de repente pequenos objetos, ao léu, explodem numa mais singular poesia.

Minha linguagem é a representação duma discórdia entre o que quero e a resistência do corpo.”

Ferreira Gullar diz que a poesia é um exercício mental, que mesmo nascendo com a pessoa se faz necessário estar atento ao entorno. Mesmo assim ela não é desprovida de sentimento. Embora seus poemas contam as fases da sua vida, não necessariamente crescem cronologicamente junto com ele. Porque ao mudar de São Luís do Maranhão para o Rio de Janeiro foi onde de fato nasceu o poeta. E volta ao passado ao ver uma fotografia aérea num arquivo de uma revista de arquitetura onde trabalhou. Ali, olhando a foto vê a sua infância! Vê o seu passado.

Eu devo ter ouvido aquela tarde um avião passar sobre a cidade / aberta como a palma da mão / entre palmeiras / e mangues / vazando no mar o sangue de seus rios / as horas / do dia tropical / aquela tarde vazando seus esgotos seus mortos / seus jardins / eu devo ter ouvido / aquela tarde / em meu quarto? / na sala? no terraço / ao lado do quintal? / o avião passar sobre a cidade“.

Fala do engajamento político. Do tempo em exílio. Do período onde se questionou como poeta. Neste documentário, ele se desnuda por inteiro, se emociona, e nos emociona também. Como também nos diverte em até quase sentindo o “cheiro de tangerina“.
Nota 10.

Por: Valéria Miguez (LELLA).

Ferreira Gullar – O Canto e a Fúria. 1994. Brasil. Direção: Zelito Vianna. Elenco: Ferreira Gullar. Gênero: Documentário. Duração: 55 minutos.

Anúncios

3 comentários em “Ferreira Gullar – O Canto e a Fúria (1994)

  1. Pingback: Um Bom Dia com Sabor e Cheiro de Tangerina! E com Ferreira Gullar! | Diário de Bordo de uma Cadeirante

  2. Acabei de assistir ao documentário O Canto e a Fúria e simplesmente me encantei! Confesso que ainda não tina lido algo de Ferreira Gullar, e estou apaixonada e com um turbilhão de sentimentos. Gostaria de saber como conseguir o documentário na íntegra.
    Grata,

    Cláudia

    Curtir

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s