Abraham Lincoln: O Caçador de Vampiros (Abraham Lincoln: Vampire Hunter. 2012)

O filme “Abraham Lincoln: O Caçador de Vampiros” é uma obra cinematográfica deliciosa e divertida de se assistir, recheada de efeitos especiais e muitas alegorias linguísticas, tomando emprestadas principalmente a metáfora de que criaturas vampirescas coabitam com o ser humano e deste se alimentam. São ideias muito bem construídas e arrematadas, e aqui bem exploradas, deixando claro a partir de seu subtítulo de que eles existem, estão por toda parte sugando mais que a matéria, até a última gota da alma, e por isso, só mesmo alguém de coragem para livrar-se dessa praga, cortando o mal pela raiz.

É uma adaptação livre do romance de Seth Grahame-Smith, sendo ele próprio responsável por roteirizar tão eficientemente quanto a direção impecável de Timur Bekmambetov que procura manter num ótimo enquadramento entre muitos planos e em close a ideia central dos fatos reais em torno da biografia de um dos maiores e mais queridos presidentes americanos – Abraham Lincoln – mesclando, na dose exata, fatos ficcionais com verídicos. E com muita competência, numa miscelânea, transforma esses dois importantes gêneros artísticos – o literário e cinematográfico – que mesmo sendo linguagens distintas cria uma nova e singular obra e fantástica de se testemunhar. E o resultado não poderia ser melhor ao gênero inventivo escolhido que não foi possível rotular. As imagens são eloquentemente bem construídas.

O prólogo nos apresenta rapidamente, em flashback, Abraham Lincoln como presidente dos EUA, e durante os primeiros anos de sua vida, mostrando um jovem de futuro promissor, de personalidade e caráter marcantes, lutando bravamente contra os que representam perigo à família e aos amigos, ou sanguessugas da nação, na obra representada por vampiros, esses são seus inimigos declarados e que para se libertar desses mal e defender tudo o que acredita ser certo, ele aprendeu desde cedo que é preciso ir à guerra, preparando-se, primeiramente, a retórica, daí, só mesmo estudando leis do direito civil para não ferir a Constituição e posterior defesa pessoal.

O homem nasce bom, o vampiro é que o corrompe. Porém, nem todo homem é somente bom, seria fácil se assim fosse, mas sempre se opta e se torce que esse lado se sobressaia à maldade humana. Pode-se ter um amigo não tão anjo como se espera, e quando a amizade é verdadeira, respeito e admiração às vezes são mais importantes que nos próprios laços sanguíneos. E o personagem Abraham Lincohn tinha um amigo vampiro que lhe abriu os olhos e lhe revelou muitas coisas como também o ensinou a lutar.  E vampiro bom e que se preze precisa se cuidar e se proteger com um bom filtro solar, senão…

benjamin-walker_abraham-lincoln-cacador-de-vampirosQue arma escolher, Senhor Presidente? Entra em ação a simbologia do “machado” objeto considerado destruidor de bloqueios e barreiras. O machado é um objeto pesado, cortante e dilacerante feito de aço e de madeira que um dia foi vida, representando Liberdade. Enquanto o direito do homem de ser livre não for respeitado, todos sofrerão as consequências e considerados escravos, sem o direito de ir e vir, de pensar, falar, decidir e muito mais.

A liberdade justa é uma conquista diária e uma luta sem fim.

E a obra é quase que politicamente correta: a luta contra o bem e o mal, devendo sempre prevalecer o bom senso daquilo que se almeja conquistar nas batalhas da vida não tão simples como parece e que se gostaria que fosse. E quem conhece a história desse Presidente, sabe que não foi tão fácil assim, e que a vida não é uma peça de teatro, e o povo não é mero espectador. A vida é um palco e seu protagonista contracena com conflitos diários, chancelando a sangue cada página escrita na busca de um final feliz esperado, mas que nem sempre será possível e com direito a aplausos e pedido de bis! O espetáculo não acaba ao correr da cortina. Faz-se intervalo para que dê oportunidade de todos atuarem, sem exceção,  mesmo que em pequenos papéis ou como figurantes.

Uma obra de muita ação, suspense, aventura e humor inteligente e ainda permeados por fatos e citações históricas do período da guerra civil americana. Bom poder recordar essa senhora aula de história universal.

O ator Benjamin Walker está bem à vontade na pele do presidente, além do carisma, seu  porte físico – altura, peso tudo nos conformes. Muitas cenas de ação e efeitos especiais bem produzidas, além de  cenários e trilhas sonoras impecáveis! Diversão garantida!

Para quem gostou do filme, fica a dica: leia o livro! É a arte imitando a vida.

Karenina Rostov
*

Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros (Abraham Lincoln: Vampire Hunter. 2012). EUA. Direção: Timur Bekmambetov. Roteiro: Seth Grahame-Smith, baseado em seu próprio livro. Elenco: Benjamin Walker, Dominic Cooper, Anthony Mackie, Mary Elizabeth Winstead, Robin McLeavy, Marton Csokas. Gênero: Ação, Fantasia, Thriller, Terror. Duração: 105 minutos.

Anúncios

Um comentário em “Abraham Lincoln: O Caçador de Vampiros (Abraham Lincoln: Vampire Hunter. 2012)

  1. Os vampiros são uma questão que agora tem estado presente em muitos filmes e televisión.En o pessoal é um dos meus temas favoritos, por exemplo, nesta septima temporada de série True Blood, uma das quais é recomendado por originalidade de sua história e excelente elenco.

    Curtir

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s