Rezando por Bobby (2009). Meu protesto contra Marco Feliciano!

rezando-por-bobbyPor Lidiana Côrrea.
“Rezando por Bobby”
conta a verdadeira história de Mary (Sigourney Weaver), uma mãe de família religiosa, que se sente abalada quando seu filho Boby (Ryan Kelley) revela ser gay. Começa então uma corrida na tentativa de “curar” Bobby, no entanto, depois de se culpar por ser quem era, Bobby se atira de uma ponte aos 20 anos de idade e Mary começa a refletir sobre seus próprios conceitos até se tornar uma militante da causa gay. Filme dirigido por Russell Mulcahy.

Assisti esse filme já tem um certo tempo. Embora tenha sido feito para a TV, a atuação de Sigourney Weaver não passa despercebida, foi simplesmente tocante. Não é um grande filme, mas é uma grande história, e em tempos de Marco Feliciano nada mais sensato que escrever sobre uma trama com temática GLS.

Eu poderia ter escolhido outro filme, há muitos filmes bons com temática GLS. Mas lembrei-me deste quando li um comentário de uma moça com relação a uma matéria da revista Época, que dizia que Feliciano insiste em dizer que os negros são amaldiçoados, e entre tantos comentários dos leitores, é claro que suas declarações homofóbicas vieram à tona. E a moça escreveu mais ou menos assim: “toda mãe sonha que o filho se case de forma tradicional, tenha filhos, eu não sou homofóbica!” Me pus então a refletir sobre o que ela escreveu, e imediatamente Orações para Boby me veio à mente.

rezando-por-bobby_01Bem, no filme, assim como na realidade, Mary sonhava exatamente isso para Boby, mas não era isso que ele sonhava. E ele tentou seguir à risca a cartilha da mãe, mas isso só gerou tristeza, infelicidade, depressão, e um fim trágico. Então, fica a pergunta: os pais querem que os filhos sejam uma extensão deles mesmos, ou que tenham vida própria e sejam felizes?

Mesmo com os leitores já sabendo o final do filme, ele não termina aí. Com a morte de Bobby, Mary vê a chance de recomeçar, de entender o filho, e para isso ela terá que quebrar seus próprios paradigmas. Uma luta consigo mesma, com aquilo que acreditou a vida inteira e sobretudo com seu amor de mãe.

Esta história aconteceu na década de 70, mas acontece ainda nos dias de hoje. Basta ver as declarações de Feliciano, Joelma (nossa como Joelma me lembrou essa mãe!) Nos coloquemos no lugar dos homossexuais, como eles se sentem tendo seus direitos violados, sendo motivo de escárnio para toda a sociedade? Como você se sentiria?

Mais resenhas sobre filmes com temáticas gay virão. Então, se você é homofóbico ou algo do gênero, me faça um favor: não leia este blog.

Esta é a verdadeira Mary em uma parada gay.

Esta é a verdadeira Mary em uma parada gay.

Eu não posso deixar ninguém saber que não sou hétero. Isso seria tão humilhante. Meus amigos iriam me odiar, com certeza. Eles poderiam até me bater. Na minha família, já ouvi eles falando várias vezes que odeiam gays, que Deus odeia os gays também. Isso realmente me apavora quando escuto minha família falando desse jeito, porque eles estão realmente falando de mim. Às vezes eu gostaria de desaparecer da face da terra…Às vezes sofro tanto…Estou assustado e sozinho. Estou condenado. Estou afundando lentamente num vasto lago de areia movediça. Um poço sem fundo. Gostaria de rastejar para debaixo de uma pedra e dormir para sempre. […] Posso sentir os olhos de Deus olhando para mim com pena.” (Trecho extraído do diário de Bobby.)

Anúncios

2 comentários em “Rezando por Bobby (2009). Meu protesto contra Marco Feliciano!

  1. Excelente filme!

    A sociedade ainda hoje em dia impõe o que acha certo sem olhar por outro ângulo. Julgando como “pecado”, não vendo assim que todos temos o direito de amar quem quisermos, independente da orientação sexual. Além do que o personagem Bob mostra o quanto é difícil e impensável sentir-se sozinho e rejeitado, e por aqueles que gostaria de manter-se próximo. É quem mais sofre toda essa carga de preconceito.

    Recomendadíssimo sim ao Pastor Feliciano e seu séquito!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Na maior parte das vezes só descobrimos a realidade das coisas quando se já é tarde demais.

    Adorei o filme! Chorei, sorrir… O mundo necessita demais amor!

    Meu protesto também ao Pastor Feliciano & Cia.

    Curtido por 1 pessoa

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s