Winter Sleep (Kis uykusu. 2014)

Winter Sleep 01Por: Eduardo Carvalho.
No meio da Capadócia, um ex-ator de teatro é proprietário de um hotel, além de dono de metade das casas do vilarejo. Enquanto exerce seu poder, entre conflitos com os inquilinos, com a irmã e a jovem esposa, Aydin escreve artigos para sua coluna em um jornal local, e prepara uma grande obra sobre a história do teatro turco.

Winter Sleep 02A sinopse de “Winter Sleep” não diz muita coisa. No entanto, as próximas 3h16m de projeção, iniciadas com um zoom que adentra a cabeça do protagonista, irão mostrar o que se passa com esse homem. Sujeito arrogante em sua pretensa intelectualidade, esta o torna, em sua própria ótica, superior aos demais à sua volta. Assim, Aydin julga ter o direito de desprezar e espezinhar os outros, com os quais, aliás, mal se relaciona diretamente; é com os fãs de sua coluna, que reverenciam a ele e a seus textos, que ele encontra combustível para sua prepotência. Em uma das longas conversas que trava com sua irmã Necla, onde ela aponta a insignificância do alcance do jornal local, ele diz algo como: “Eu sei que o palácio é pequeno. Mas, ainda assim, por que não ser rei ali?”. Nos embates com Necla e a esposa Nihal, Aydin poderia ter algum lampejo de consciência. Mas não; quando confrontado, ele demonstra claramente sua vileza e mesquinhez, deixando cair o verniz de bondade. Ao tentar tirar de Nihal a única coisa que a mulher pode realizar fora de sua órbita, ele tenta convencê-la – ou a si mesmo – de sua preocupação com o bem-estar da esposa. Inutilmente.

Além da clara qualidade do texto, que fez alguns lembrarem de Tchekov, o trabalho de Nuri Bilge Ceylan tem um elenco afiadíssimo e um trabalho de fotografia à altura. Haluk Bilginer faz seu protagonista longe do overacting típico de Hollywood, com extrema contenção e sutileza nos gestos e sinais que desmascaram o personagem, como o risinho de escárnio. Melisa Sözen tem grandes momentos com o protagonista e com o professor, com a intensidade própria da ingenuidade de sua Nihal. Os planos mais fechados e escurecidos contribuem para a densidade da obra, em um ótimo trabalho em conjunto com o texto.

Winter Sleep 03Um protagonista como Aydin ou a duração do filme seriam fatores para dificultar a aceitação de “Winter Sleep”. Mas Ceylan não fez concessões. O tempo provou que estava certo; levou a Palma de Ouro de 2014. É o reconhecimento mais do que justo desse extenso painel sobre a predileção pelo intelecto ante o contato humano e as relações de afeto, retratando esse homem que escolheu a solidão decorrente de sua triste vaidade.

p.s: Visto na 38ª Mostra Internacional de Cinema. Ainda sem data para entrar no circuito comercial..

Anúncios

5 comentários em “Winter Sleep (Kis uykusu. 2014)

  1. Realmente pode ser bem cansativo, Val rss mas é uma obra muito forte. O diretor desmascara o indivíduo que foge das relações, refugiando-se no intelectualismo vazio. Quando for possível ver, não perca a oportunidade.

    Curtido por 1 pessoa

Seu comentário é importante para nós! Participe! Ele nos inspiram, também!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s