As Montanhas se Separam (2015). Numa Promessa de uma Vida Melhor

as-montanhas-se-separam_2015_cartazPor Christine Marote.
Assisti o filme “As Montanhas se Separam”, do diretor chinês Jia Zhang-ke, e resolvi dividir com vocês, por alguns motivos. O filme é em mandarim, legendado em português. E sempre se fala que uma boa maneira de se aprender uma outra língua é assistindo filmes… Isso é fato. Mas nunca me atrevi a assistir um filme em mandarim desde que comecei a aprender essa língua. Achava que nunca iria entender nada, que ficaria perdida. Ok, também morando na China nunca havia encontrado um filme com legenda em português. Mas o fato é que fiquei super empolgada em reconhecer as palavras e expressões da fala cotidiana. Como usam expressões que eu achava que só servia para uma situação, e percebi que não. E faz todo sentido. Muito legal.

as-montanhas-se-separam_2015_02“As Montanhas se Separam” retrata a China do começo do século 21. Ele começa na virada do século, e algumas cenas que vi, me lembrou muito algumas situações que presenciamos em Chang Chun, quando chegamos na China em 2004. Até porque ele é rodado no interior do país, o que mostra uma outra realidade, bem diferente de Shanghai, mesmo naquela época.

A abertura econômica e as possibilidades que se abriram para o enriquecimento da população, ou não. As consequências que esse dinheiro, que chegou muito rápido, trouxe para as pessoas e a sociedade chinesa. Bem interessante.

Ele está em todos os cinemas do Brasil! Essa é a melhor parte, né? Estou falando de um filme que todos terão acesso. Não esperem uma produção hollywoodiana, mas um filme cativante e bem interessante sobre uma sociedade, que apesar de estar na mídia mundial, poucos conhecem de perto.

as-montanhas-se-separam_2015_01Um resumo de “As Montanhas se Separam”: Uma história narrada em três períodos: 1999, 2014 e 2025. Começando pela China em 1999. A professora Tao (Zhao Tao) é cobiçada pelos seus dois amigos de infância, Zang (Zhang Yi) e Lianzi. Zang (Jing Dong Liang) é proprietário de um posto de gasolina e tem um futuro promissor, enquanto Liang trabalha em uma mina de carvão. No coração dos dois homens, Tao terá de fazer uma escolha que determinará o seu destino e o futuro de seu filho, Dollar. Zhang, com espírito empreendedor capitalista, vai se tornar dono da mina em que Liangzi trabalha e, assim, o confronto amoroso se espelha e se reflete no confronto da China moderna, entre trabalho e capital, que põe em xeque a própria identidade do país.

Tempo depois, entre uma China em profunda mutação e uma Austrália com a promessa de uma vida melhor, esperanças, amores e desilusões, esses personagens irão encontrar os seus caminhos.

As Montanhas se Separam (Shan he gu ren. 2015).
Ficha Técnica: na página no IMDb.

Anúncios

Amor à Flor da Pele (In The Mood For Love. 2000)

inthemoodforlove1.jpg

Um filme que impressiona… Por levar a pensar: como um filme pode exalar tanto erotismo sem uma única cena de sexo explícito? Os olhares, os vestidos, o ambiente onde parece que as paredes têm ouvidos… Uau! Os dois protagonistas, Chow e Su dão um show de sensualidade!

Chow e Su mudam-se para o mesmo prédio no mesmo dia. Ambos, casados. Ele, jornalista. Ela, secretária. Encontram-se, sempre casualmente, pelas escadarias do prédio ou de onde vão comprar comida… nos jogos de mahjongg com os senhorios… na volta do trabalho… Tanto o marido de Su, como a esposa de Chow, não aparece por completo.

Chow e Su descobrem que além de gostarem do mesmo tipo de história (leitura)… Por dois objetos que carregam sempre (a gravata, dele; e a bolsa, dela)… descobrem que estão sendo traídos. É, seus esposos são amantes. E aí?

Pagar na mesma moeda? Fazer o mesmo que eles?

Chow então lhe diz algo lindo… um ode ao amor! Fica difícil resistir a ele. Amei esse personagem!

E a trilha musical é inesquecível! Nat King Cole “é o mestre de cerimônia” para Chow e Su…

sempre que eu pergunto que,
como, quando e onde,
você só me responde,
quizás, quizás, quizás…

Amei! Nota: 10.

Por: Valéria Miguez.

Amor à Flor da Pele (In The Mood For Love). China. 2000. Direção e Roteiro: Wong Kar-Wai. Com: Tony Leung (Chow), Maggie Cheung (Su Chan). Gênero: Drama, Romance. Duração: 98 minutos. Classificação: 14 anos.