127 Horas (127 Hours. 2010)

Por: Alex Ginatto.

Assisti ontem (02/08/11) a “127 Horas” por ter visto que estava bem cotado entre as novidades da locadora.

Confesso que me incomodam um pouco filmes com roteiros sucintos, sem muitas reviravoltas e principalmente os que se passam em sua maioria no mesmo cenário. Sofri um pouco com “Enterrado Vivo” (Buried), mas ainda assim consegui aproveitá-lo e imaginei que o mesmo aconteceria com 127 Horas.

Engano puro…o filme tem uma dinâmica bem maior e consegue lhe manter preso ao drama vivido por Aron.

Diante de um descuido, uma queda, um braço preso e pronto: ele se coloca no que seria o foco do filme até os minutos finais.

O desespero inicial para tentar retirar a pedra, o gerenciamento de alimento e água imaginando que demorariam vários dias até que alguém desse por sua falta, os devaneios de sua mente, oscilando momentos de descontração, tristeza e lembranças.

Muito boa atuação do ator James Franco, conseguiu encarnar bem o papel de Aron. Excelente escolha da trilha sonora, dinamismo dos corte das cenas e um cenário de tirar o fôlego.

Recomendo muito! Nota 7.

Anúncios

127 Horas (2010). Os louros vão para Danny Boyle

E no meio do caminho tinha uma pedra…

Às vezes gosto de saber dos filmes que entrarão em cartaz no Brasil. Por curiosidade mesmo. Como a lista é grande, vou olhando aos poucos as sinopses. Desse filme em especial, o título me chamou a atenção, dai fui ler uma sinopse:

127 Horas é a história real do alpinista Aron Ralston. Ele cai numa fenda num cânion isolado no Parque Nacional de Utah. Uma rocha prendeu seu braço. Nos dias seguintes, Ralston tenta ganhar coragem para sobreviver com os meios disponíveis, ao mesmo tempo em que é visitado pelas lembranças de amigos e familiares.”

Confesso que não me empolguei de pronto. Só mesmo quando meus olhos bateram no nome Diretor, e também Roteirista: Danny Boyle. É! Esse cara tira-leite-de-pedra. O que para mim a estória mal daria um Média Metragem, com ele já antevia um jeito de contá-a nos deixando atentos. E ele foi além, pois o filme é ótimo. O ator até se sai muito bem, mas com toda a certeza “127 Horas” é de Danny Boyle. Os louros são para ele.

Porque o drama que se abate com o jovem Aron, interpretado por James Franco, ocorre nos primeiros quinze minutos de filme, talvez um pouco mais. E ai é o Aron, dentro de uma fenda profunda numa grande rocha, preso, no que para ele foram essas 127 horas – onde só tinha água e suprimentos para apenas umas horas de caminhada pelo cânion -, mas que para nós um pouco mais de uma hora de filme. Boyle nos deixa ligado na estória. Tem que ver para tirar a dúvida. Boyle não nos deixa tirar os olhos da tela.

O início do filme com uns clipes já me encantaram. Numa tradução literal minha seria que há quem queira se aventurar longe das pessoas. Até por se sentirem sozinhos em meio a multidão. Ou em buscarem nesses momentos solitários em meio a natureza um tipo de recarregar as baterias. Até ai, tudo bem!

Agora, há de se preparar para os im-previstos. Como eu escrevi para o filme “Na Natureza Selvagem“, que a natureza mesmo selvagem também tem suas regras. Certos tipos de esportes, e em determinadas regiões, deveria ser feito com companhia. Acidentes podem ocorrer. Tendo alguém para pedir por um socorro, denota de bom senso. Mas Aron mesmo ciente disso tudo, ignora até os pequenos sinais. Só dará atenção a eles, já bem combalido. E se foi miragem, ou visão trazida do seu subconsciente como se dissesse para ele não desistir da vida, o certo foi mesmo é que fora sua injeção para continuar vivo, e pelo jeito, atrás de mais desafios a até contra sua própria natureza: sempre sozinho. Já que o Aron não se emenda…

Meus aplausos seguem quase na totalidade para o Diretor Danny Boyle! E ele fez mais! Me levando às lágrimas nos minutos finais. Não deixem de ver. Ah sim! A paisagem é deslumbrante.

Antes de encerrar, deixo mais uma impressão. É que me bateu uma curiosidade. Saber o que diriam os da Área Psi sobre o menino que aparece para Aron. Se diriam que foi mesmo uma previsão? Ou a sua criança interior pedindo para não desistir?

Por: Valéria Miguez (LELLA).

127 Horas (127 Hours. 2010). EUA / Reino Unido. Direção e Roteiro: Danny Boyle. Gênero: Aventura, Drama. Duração: 94 minutos.