Brasil Animado (2011)

Sabe quando você se programa para fazer uma coisa e acaba fazendo outra? Aconteceu comigo ontem. Programei-me para ver um determinado filme, mas a sessão estava esgotada, e para não perder a viagem acabei assistindo a outro ao estilo família no jardim de infância. Acredite se quiser, era um público comportado, e super atento ao entretenimento. É o nacionalíssimo BRASIL ANIMADO, o primeiro em 3D, mas que na verdade é um truque de ilusão do efeito que está na profundidade de campo e na textura dos desenhos, dando a idéia de dimensionalidade dos cenários e personagens, em um colorido vibrante. Um tridimensional light, sem necessidade de se usar os óculos especiais. Saí da sessão entusiasmada com o belíssimo filme que mistura com perfeição animação e imagens reais de nosso país.

O filme foi dirigido por Mariana Caltabiano e conta a história de dois cães: o empresário Stress e o cineasta Relax, que saem da cidade de onde vivem Santa Rita do Passa Quatro, SP, em um carro Gol e vão em busca de um sonho que é encontrar a mais antiga e rara árvore do Brasil com mais de três mil anos, o “Grande Jequitibá Rosa”.

Os amigos fazem um passeio pelo mapa do Brasil, passando por diversos cartões postais, entre eles o Rio de Janeiro e seus belos pontos turísticos como o Pão de Açúcar, Cristo Redentor, as praias, e depois partem para outras regiões seguindo rumo aos Estados da Bahia, Ceará, Pernambuco, Minas Gerais, Amazônia, passeiam pela moderna Brasília fazendo um tour com direito a guia turística que vai dando explicações básicas da capital, e por último a cidade de São Paulo e a sua beleza arquitetônica, até que descobrem que o que procuram está nessa capital e, pasmem, na própria cidade natal, Santa Rita…

E tudo isso mesclando imagens reais com a animação tornando-se uma grande aula de História Geral e do Brasil. Só há um porém: esqueceram de mostrar o santuário ecológico, o meu Pantanal, o que me deixou frustrada. Stress e Relax fazem uma parada no Festival de Gramado, e lá encontram o cineasta Fernando Meirelles que pega carona nessa história. O filme ganhou um valor especial por causa dessa mistureba entre animação e imagens reais, exaltando a fauna e a flora nacional exatamente como o público infantil gosta.

Relax e Stress constantemente interagem com a natureza, com os animais e paisagens em geral, contando histórias do folclore e tudo o mais, das comidas, bebidas e das danças típicas; o regionalismo bem marcado pelo sotaques e cultura, capturando flagrantes da vida nativa e de turistas, e muitos outros detalhes enriquecedores.
Os cantores Ed Motta e Simoninha participam da trilha sonora combinando suas canções a diversos ritmos regionais.

Um filme literalmente bem animado. Pegue você também carona nesta viagem, um gol de placa! Depois de tudo resolvido, Relax e Stress partem para nova aventura, mas essa já é outra história.

A propósito, o jequitibá-rosa é a desculpa para esta história acontecer e esta árvore pode ser considerada um dos maiores e mais antigos seres vivos do mundo, com idade estimada em 3000 anos. Por ironia, neste terreno, um dos mais férteis do planeta, planta-se cana de açúcar, e esta árvore apenas não foi cortada antes de ser criado o parque, por ter sido muito difícil arranjar um instrumento para conseguir derrubá-la.

Esta árvore está no Parque Estadual do Vassununga, Santa Rita do Passa quatro, SP. O jequitibá-rosa é chamado por alguns de Patriarca da Floresta, mede 49 metros de altura e tem uma circunferência de 16 metros, ou seja, são necessárias 10 pessoas de mãos dadas para dar a volta em seu tronco.
Quer ver um bom filme brasileiro? Minha dica é Brasil Animado. Sem palavras! Simplesmente uma das animações mais surpreendentes que já vi! Vale muito a pena!
Karenina Rostov
*
Título original: Brasil Animado
Lançamento: 2011 (Brasil)
Direção: Mariana Caltabiano
Atores: Eduardo Jardim, Mariana Caltabiano, Fernando Meirelles, Fabiano Perez.
Duração: 75 min
Gênero: Animação

Anúncios

HOME – Nosso Planeta, Nossa Casa (2009)

HOME_by_Yann-Arthus-BertrandConsumimos em excesso e estamos extinguindo os recursos da Terra. Do ar, é fácil ver estas feridas. O que realmente quero é que as pessoas cujo consumo tem um impacto direto sobre a Terra, percebam a necessidade de mudar seu modo de vida depois de assistirem o filme .” (Yann Arthus-Bertrand).

Sensacional eu diria, mas nem um pouco sensacionalista! O Documentário HOME, Nosso Planeta, Nossa Casa traça um perfil da Terra desde a sua criação até os dias atuais. E que choca com o que a humanidade tem feito com o nosso Planeta, com a nossa Casa, nos últimos 50 anos. Sou grata a Sarah por ter indicado.

Nenhum homem é uma ilha… A morte de qualquer homem me diminui, por que eu faço parte da humanidade; então nunca pergunte por quem os sinos dobram, eles dobram por ti“. (Ernest Hemingway).

No início parece que estamos de volta aos bancos escolares tendo num audiovisual uma aula do surgimento do planeta, dos seres vivos… que nos parece longa, mas é esse um dos pontos chaves do filme: mostrar que agora temos pressa. Sem ao menos questionar para onde essa pressa levará todos nós. Por valorizar mais o supérfluo em detrimento do que nos é essencial. Num apetite voraz e egoísta.

E o filme segue num sobre vôo por partes importantes para esse alerta. Mostrando que o consumir muito mais do que se necessita, termina por um esgotamento da terra, do seu subsolo… Me fez até querer saber mais sobre a política atual do Rio São Francisco. Por ter mostrado também a degradação de outros rios. Não há riqueza que pague o sentar a beira de um rio com sua água límpida vendo peixinhos nadarem. Tive o privilégio de ter visto na minha infância. Até num pequeno córrego que passa atrás do nosso terreno…

Dados ao final do filme:

* 20% da população mundial consome 80% dos recursos do planeta.
* O mundo gasta doze vezes mais em armas do que em ajuda de desenvolvimento de países.
* 5.000 pessoas morrem todos os dias por beber água poluída.
* Bilhões de seres humanos não têm acesso em beber uma água potável e salutar.
* 1 bilhão de pessoas passam fome.
* Mais de 50% do grão comercializado ao redor do mundo é usado para ração animal ou biocombustíveis.
* 40% da terra cultivável é degradada.
* A cada ano 13 milhões de hectares de florestas desaparecem.
* 1 mamífero em 4, 1 pássaro em 8, 1 anfíbio em 3 estão ameaçados de extinção. As espécies estão desaparecendo mil vezes mais rápido do que o ritmo natural de extinção.
* 75% dos produtos da indústria pesqueira estão extintos, esgotados ou em risco de extinção.
* A temperatura média dos últimos 15 anos tem sido a mais alta desde o início de seu registro.
* A calota polar perdeu 40% de sua espessura em 40 anos.
* Poderá haver 200 milhões de refugiados do clima em 2050.

Pela importância do tema o Documentário “Home – Nosso Planeta, Nossa Casa” teve a exibição em vários países no Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de Junho) em várias mídias: cinema, televisão, DVD e inclusive pela internet (www.youtube.com/homeproject).

Se no ‘Uma Verdade Inconveniente‘, a mensagem válida veio em frase sobreposta aos créditos finais – Plante árvores! -, em ‘HOME’ o alerta vem durante todo ele. E para nós brasileiros nos motiva principalmente a cuidarmos muito mais dos nossos mananciais. Mas também do Pantanal, das Florestas, dos Manguezais – berçários da fauna e flora -… e tentar impedir que a monocultura da soja não acabe imperando e destruindo tudo mais, assim como a cultura bovina.

Vou querer ter o dvd em casa. Para rever mais vezes. Excelente Documentário! Nota 10!

Por: Valéria Miguez (LELLA).

HOME – Nosso Planeta, Nossa Casa. 2009. França. Direção: Yann Arthus-Bertrand. Produção: Denis Carot e Luc Besson. Gênero: Documentário. Duração: 90 minutos. Baseado no livro “The Earth from Above”, de Yann Arthus-Bertrand.

http://www.home2009.com.br/
http://www.yannarthusbertrand2.org/main.php
http://filmehome.blogspot.com/

p.s: Por terem me avisado num comentário, de que o vídeo com a versão de Portugal, foi retirado do Youtube, eu o retirei do texto. (Em 21/07/09)