Doce Vingança (I Spit On Your Grave. 2010)

O filme “A vingança de Jennifer” (1978) de Meir Zarchi, exemplar cultuado de trash movie estilo sadomasoquista erótico daquela época era de um mau gosto atroz e pareceu ter sido criado somente para suprir certos instintos ultra violentos de cunho erótico ainda que supostamente levantasse uma bandeira de proteção ao sexo frágil. No entanto, a estória forte de uma escritora que decide se vingar de um grupo algoz após ser estuprada tem lá o seu encanto assustador e transformou-se num remake competente por conta da direção segura de Steven R. Monroe e de um elenco excelente encabeçados pela bela Sarah Butler e pelo bonitão Jeff Branson.

Se o original “I Spit on your grave” era explicitamente tosco e quase pornográfico, a novidade homônima de Steven R Monroe apresenta uma dignidade técnica surpreendente ainda que flerte com aqueles elementos em sua essência, a começar pelo cartaz que é muito parecido com a primeira versão: nádegas expostas e um punhal ensanguentado sugerindo um apelo tão erótico quanto violento.

Tanto a primeira parte do filme que consiste na mulher sendo brutalmente violada por cinco homens quanto a segunda que descreve a sua vingança com detalhados requintes de crueldade, compõem um desfile de cenas muito fortes que atrapalham que “Doce Vingança” seja criticado como um outro filme qualquer. O preconceito impede que estes temas primários inerentes à base humana sejam julgados imparcialmente ainda que numa embalagem de qualidade.

Carlos Henry

Doce Vingança (I Spit on Your Grave). 2010. EUA. Direção: Steven R. Monroe. Roteiro: Stuart Morse. +Elenco. Gênero: Crime, Terror, Thriller. Duração: 107 minutos. Unrated (versão sem cortes). Baseado na história de Meir Zarchi.

Anúncios